Defendido maior profissionalismo no sector da moda

Karina Barbosa - agente de moda e promotora de eventos (Foto: Venceslau Mateus)

Maior profissionalismo, organização e seriedade no trabalho são alguns dos requisitos defendido hoje, quinta-feira, em Luanda, pela directora-geral da agência de modelos STEP, Karina Barbosa, no sentido de se impulsionar e internacionalizar mais o sector da moda nacional.

Em declarações à Angop, a propósito do tema “O actual estado da moda no país”, Karina Barbosa disse ser importante que os profissionais envolvidos no sector da moda em Angola se empenhem mais, criando estruturas de trabalho fortes e eficientes.

Os criadores de moda, reforçou, precisam de institutos de formação e de estruturarem o seu trabalho como um negócio, não se limitando à parte criativa e olharem para a viabilização e comercialização do seu trabalho

Como exemplos de instituições consolidadas no mercado nacional, a directora apontou as agências de modelos STEP e a Da Banda, que tiveram sucesso na profissionalização e internacionalização das carreiras de manequins e modelos angolanos.

“É preciso que outras agências sigam estes exemplos de seriedade e profissionalismo”, aconselhou.

Advogou a necessidade de existir maior interacção entre os estilistas e as indústrias do sector para haver as linhas de pronto-a-vestir, assim como se melhorar a colaboração com os investidores, aliados a um bom plano de gestão, marketing e comunicação.

“Só assim a moda poderá chegar a um público mais vasto, a nível nacional e internacional”, argumentou.

No seu entender, outros dos factores que prejudicam o crescimento da moda em Angola é a pouca formação e a carência de indústrias, para apoiarem o sector.

Por isso, salientou, deve-se criar condições para se ter um mercado mais dinâmico e com mais oportunidades de trabalho.

Karina Barbosa solicitou às autoridades do país a criação, a curto prazo, de escolas ou institutos de moda para leccionarem cursos como design, tecelagem, modelagem, entre outras especialidades do sector.

“Há talento no país, mas falta ainda a formação e a industrialização”, sublinhou.

Karina Barbosa é directora-geral da STEP há 15 anos e lançou acerca de três anos a sua própria marca de maquilhagem KB Make Up.

A agente é também directora do evento “Moda Luanda”, que conta com 18 edições realizadas, sendo uma das actividades de maior destaque a nível do sector no país. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA