Cunene: Falta de editoras dificulta desenvolvimento do sector literário na província

Cunene: Secretário para Organização da Brigada Jovem de Literatura no Cunene, Calmindo Napoleão (Foto: Arquivo)

A inexistência de editoras livreiras na província do Cunene tem dificultado o desenvolvimento do sector literário na região, atendendo que os escritores locais não conseguem publicar as suas obras na circunscrição.

Essa afirmação foi feita hoje, quarta-feira, na cidade de Ondjiva, pelo secretário para Organização da Brigada Jovem de Literatura do Cunene, Calmindo Napoleão, tendo sublinhado que a falta de editoras tem desmotivado os escritores locais, por não conseguirem lançar os seus livros.

Em alguns casos, revelou, certos escritores locais são obrigados a recorrerem às editoras da província da Huíla ou da República da Namíbia, o que encarece a produção das obras literárias.

No seu entender, essa situação só prevalece por falta de interesse dos empresários do Cunene investirem no mercado literário.

“A par da inexistência de editoras, a carência de patrocínio condiciona também a publicação de obras literárias de escritores do Cunene, o que impede o crescimento desse sector na região”, acrescentou.

Fez saber que, a BJL no Cunene conta apenas com quatro escritores com obras publicadas, apesar de existirem outros membros com trabalhos já concluídos, esperando apenas apoio para editarem. (ANGOP)

DEIXE UMA RESPOSTA