Cuanza-Norte: Falta de informação motiva fraca afluência ao recenseamento militar

Recenseamento militar com fracos resultados em Samba Cajú (Foto: Frank Beu/Arq)

A falta de informação sobre a importância do recenseamento militar e o desinteresse dos jovens em cumprir com este dever patriótico estão a condicionar o alcance dos resultados esperados neste processo, no município de Samba-Cajú, província do Cuanza Norte.

Em declarações à Angop nesta sexta-feira, o responsável do posto de recenseamento militar da circunscrição, Sebastião Manuel Francisco, associou aos referidos factores a distante localização de muitas aldeias em que os jovens vivem.

Face essa realidade, somente trinta e seis jovens nascidos nos anos 1997 e 98 aderiram, de Janeiro à data presente aos serviços de recenseamento militar de Samba Cajú, a fim de regularizarem a sua situação.

Na óptica do mesmo responsável, o número de jovens que neste período aderiu ao posto local de recenseamento militar não condiz com as estatísticas inicialmente previstas, que eram de 260 recenseados.

Fez notar que isso contraria os esforços que são desencadeados pela representação militar, com acções de sensibilização às comunidades no sentido de consciencializar a juventude do município sobre o dever cívico de cumprimento do serviço militar obrigatório.

O processo iniciado a 5 de Janeiro transacto continua, em curso, razão que Sebastião Manuel Francisco aproveitou para apelar os jovens abrangidos por essa cláusula legislativa a fazerem o seu recenseamento militar.

Esclareceu que para o efeito devem apresentar uma cópia do bilhete de identidade (BI) ou da cédula pessoal, cópia do certificado de habilitações literárias e duas fotografias tipo passe. Na ausência desses documentos, o cidadão deve acompanhar-se de uma testemunha idónea.

Para além de significar o cumprimento de um dever de cidadania, o recenseamento militar é vantajoso para a pessoa abrangida pois é uma das condições para o jovem maior de 18 anos se habilitar ao ingresso no sistema de ensino, concorrer para uma bolsa de estudos ou para um emprego, entre outros privilégios. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA