Combate a ravinas no Bié depende de oitocentos milhões de kwanzas

Ravina corta circulação Bié/Menongue (foto arquivo)

Oitocentos milhões de kwanzas é o montante necessário para que se desenvolva o Programa de Combate às Ravinas, para permitir uma circulação segura na província do Bié e a estabilidade das moradias.

O vice-governador do Bié para a Técnica e infraestruturas, José Fernando Tchatuvela, disse que o governo identificou como as mais perigosas, a ravina na vila do Mumbue (Chitembo), na estrada entre as cidades do Cuito e Menongue (Cuando-Cubango) e outra na estrada de acesso à província do Huambo.

Há igualmente as ravinas do Cangangawé, Cantíflas, Chissindo e da nova construção dos 200 fogos habitacionais, na sede municipal do Cunhinga, 30 quilómetros a norte da cidade do Cuito.

Em 2014, as autoridades governamentais da província do Bié estancaram a ravina do Cuquema, 18 quilómetros a sul do Cuito, que perigava a circulação na estrada nacional entre as cidades do Cuito, Huambo e Menongue. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA