China discute medidas para estimular a economia

(EURONEWS)

A China pretende implementar medidas para combater o abrandamento da economia.

O governo de Pequim espera que o Produto Interno Bruto do país cresça entre 6,5 e 7 por cento, em 2016, de acordo com o XIII Plano Quinquenal 2017-2020, apresentado pelo primeiro-ministro Li Keqiang à Assembleia Nacional Popular, o órgão máximo legislativo chinês, cuja reunião anual arrancou este sábado.

O governante anunciou que é esperado que o PIB, da segunda economia mundial chegue aos 90 mil milhões de yuan, o equivalente a 12,5 mil milhões de euros, em 2020, inferior ao PIB dos Estados Unidos, a primeira economia mundial, que em 2015 atingiu os 15,5 mil milhões de euros.

Recentemente, Pequim informou que pretende cortar cerca de 2 milhões de empregos nas indústrias do carvão e do aço. Exemplo disso, a China anunciou que pretende encerrar mais de mil minas de carvão, ainda em 2016, com o objetivo de travar o excesso de oferta no setor e reduzir as emissões de CO2 para a atmosfera.

Para combater as críticas ao governo, que têm aumentado de tom na internet, o Partido Comunista criou vídeos animados, com as políticas e os slogans do presidente Xi Jinping. (EURONEWS)

por Miguel Roque Dias | com REUTERS, LUSA, AFP

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA