Centro de Segurança e Saúde no Trabalho efectua mais de 27 mil exames médicos em 2015

Centro de Segurança do trabalho (Foto: Jaquina Bento)

Vinte e sete mil 515 trabalhadores submeteram-se a exames médicos em 2015, no Centro de Segurança e Saúde no Trabalho (CSST), localizado no município de Viana, em Luanda, informou hoje, terça-feira, a directora geral dessa instituição, Isabel Cardoso.

Segundo a responsável, que falava em entrevista à imprensa, a propósito do funcionamento do centro, anualmente tem vindo a aumentar o número de empresas que acorrem aos serviços da instituição, destacando que em 2014 haviam sido examinados 20 mil 230 trabalhadores.

Explicou que em 2015 o número poderia ser maior, uma vez que muitas empresas procuraram o centro, mas não chegaram a firmar contrato, sobretudo fruto da situação financeira que o país atravessa.

“ Acredito que melhorada a fase que o país vive, mais empresas vão procurar nossos serviços e poderemos evitar problemas e consequências muito graves no futuro, como incapacidades provocadas por acidentes de trabalho ou doenças profissionais”, disse.

Na sua óptica, deve-se investir na segurança, higiene e saúde no trabalho para termos no futuro pessoas reformadas saudáveis e ainda úteis.

Adiantou que na sede do CSST faz-se o check up básico do trabalhador (administrativo), que custa 20 mil kwanzas por pessoa e deve ser feito de dois em dois anos, através do raio x do tórax, consulta de enfermagem, consulta médica, exames laboratoriais e fazem também um rastreio visual, se o mesmo estiver diariamente diante de um computador.

Na mesma senda, avançou que existem outros exames para outras funções, sendo por isso necessário que a equipa de segurança, higiene e saúde no trabalho vá às empresas para avaliar os riscos a que o trabalhador está exposto e daí fazer um relatório para se definir os exames a serem feitos.

“ Um trabalhador que está exposto a poeira, por exemplo, ou ao ruído, deverá fazer exames de aspirometria ou audiometria. Os exames não são iguais para todas as pessoas e mesmo tendo as mesmas funções, elas podem ter de fazer exames diferentes, em função do ambiente em que cada um trabalha e aos riscos a que estão expostos”, esclareceu.

O CSST conta actualmente com três unidades móveis com as quais se deslocam a algumas províncias para fazer exames de saúde ocupacional, mas o objectivo do ministério da Administração Pública, Trabalho e Segurança Social, a que ele está adstrito, é a sua expansão para todo o país. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA