Cardeal cubano discorda de Obama sobre reconciliação

Cardeal cubano Jaime Ortega (DR)

O cardeal cubano Jaime Ortega afirmou nessa sexta-feira que a reconciliação nacional, assim como entre Cuba e Estados Unidos, deve ser feita sobre o “perdão” e não esquecendo a história como pediu o presidente Barack Obama em sua recente visita à ilha.

“Entre os países, entre nós o perdão faz falta. Por quê? Porque a história não se esquece facilmente, há ofensas que não se esquecem, não se vira a página com facilidade, porque há que perdoar as ofensas”, disse Ortega em sua homilia da Sexta-feira Santa, na catedral de Havana, tele-visionada para todo o país.

O cardeal recordou que em seu discurso, pronunciado na terça-feira no Gran Teatro de Havana e transmitido pela televisão cubana ao vivo a todo o país, Obama afirmou que os dois países precisam virar a página e deixar a história para trás.

“Chegou o momento de deixarmos o passado para trás e olharmos para o futuro -um futuro de esperança”, disse o presidente americano no discurso, no terceiro e último dia de sua histórica visita a Cuba.

“E não será fácil, e haverá reveses. Levará tempo”, admitiu Obama.

O cardeal Ortega opinou que “nisso há uma grande dificuldade, não se vira a página e não se deixa para trás a história porque a historia é necessária e a história é mestre da vida, como disse o pensador grego, e faz falta tê-la sempre presente e, no entanto, temos que viver reconciliados”.

“Não se tem que esquecer a história, temos que nos sobrepor à história pelo perdão”, concluiu o cardeal. (AFP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA