Cabinda: Governadora reconhece ausência de programa ambiental

Cabinda: Aldina Matilde Catembo - Governadora da Provincia de Cabinda (Foto: Pedro João)

A ausência de um programa direccionado à educação ambiental aliado a falta de uma cultura de respeito pelo próximo e da natureza ao ambiente, sao facilitados pela pouca divulgação das leis, regras e normas existentes, dando lugar a práticas nefastas como depósito de lixo em qualquer lugar, reconheceu hoje quarta-feira, nesta cidade, a governadora de Cabinda, Aldina Matilde da Lomba Catembo,

A governadora falava durante o acto de abertura da conferência provincial sobre concessão do serviço público de gestão de resíduos urbanos, que decorre nesta cidade, na sede das secretarias provinciais, uma promoção do governo da província em parcerias com a Agência Nacional de Resíduos.

“A não separação do lixo torna mais perigosa esta prática que concerne a contaminação dos solos, das águas subterrâneas devendo-se começar a educar e sensibilizar a população para a separação do lixo permitindo uma colheita selectiva”.

Avançou ainda que a não separação do lixo e sua devida classificação e tratamento deve ser rigoroso, tendo em conta o material perigoso tal como pilhas, baterias de telefone, equipamentos electrónicos que são formados por compostos químicos com alta capacidade de poluição e toxidade para o solo, torna ainda mais a perigosidade de intoxicação das águas, aos humanos e animais.

Referiu também que a solução dos problemas dos resíduos em termos de planeamento e implementação de todas as componentes do sistema de gestão, “constitui desafio da sustentabilidade ambiental em particular e do desenvolvimento humano e económico e social no geral”.

Sublinhou que o Executivo angolano, aprovou o Plano Estratégico para a Gestão dos Resíduos Urbanos em Angola, sendo este um passo fundamental para alteração do paradigma na gestão dos resíduos urbanos para a convergência com as melhores práticas ambientais a nível nacional.

O governo da província de Cabinda iniciou o novo modelo de recolha e tratamento dos resíduos sólidos que envolve a população e as empresas a comparticiparem através do pagamento de uma taxa aos serviços prestados pelas operadoras.

Durante a conferência que termina ainda nesta quarta-feira, serão discutidos temas como, “ A agência nacional dos resíduos e suas funções no quadro do Plano Estratégico de Gestão dos Resíduos aprovado pelo decreto presidencial 196/12 de 30 de Agosto”, “ Estratégia e solução pontual para a gestão de resíduos urbanos em Cabinda” e “ Projecto de regulamento de concessão do serviço público de limpeza e recolha de resíduos sólidos urbanos”.

Participam da conferência membros do governo, coordenadores dos bairros, órgãos de defesa e segurança, associações juvenis, membros da sociedade civil, líderes religiosos e empresas operadoras de resíduos. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA