Braço-direito de Suu Kyi será o Presidente da Birmânia

(EURONEWS)

Na antiga Birmânia, como esperado, o Parlamento confirmou os dois nomes apresentados pelo partido de Aung San Suu Kyi como candidatos presidenciais. O terceiro concorrente à chefia do Estado é apresentado pelos militares.

A atual Constituição da República da União de Myanmar, aprovada pela extinta Junta Militar, impede Suu Kyi de assumir a presidência do país porque tem filhos com nacionalidade estrangeira, no caso, britânica.

Por isso, a prémio Nobel da Paz vai governar por procuração e indicou para Presidente um amigo de infância, que é o seu braço-direito.

A escolha foi Htin Kyaw, um economista de 69 anos, formado em Oxford e antigo motorista de Suu Kyi.

Na câmara alta, a Liga Nacional para a Democracia (LND), o partido de Suu Kyi, também confirmou a escolha do seu candidato, um representante das minorias, que será vice-presidente tal como o candidato dos militares.

Como a Liga Nacional para a Democracia dispõe de uma larga maioria, o amigo da prémio Nobel tem a presidência garantida.

A eleição do chefe de Estado deverá ter lugar na próxima segunda-feira numa reunião magna das duas câmaras do Parlamento. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA