BPI? “Isabel dos Santos tem a faca e o queijo na mão”

Francisco Louçã (RTP)

Francisco Louçã debruçou-se sobre as negociações entre Isabel dos Santos e Caixabank, ambos acionistas do BPI.

“A partir de 10 de abril o BPI começa a pagar uma multa diária de 162 mil euros”, lembrou Francisco Louçã na hora de abordar as negociações entre Caixabank e Isabel dos Santos relativas ao BPI.

No seu espaço de comentário semanal na antena da SIC Notícias, Francisco Louçã adiantou que esta multa “é uma decisão do BCE, que exige que o BPI se separe dos seus ativos angolanos” e que deve ser tida em conta para perceber as negociações em curso.

“A situação seria vantajosa tanto para o Caixabank como para Isabel dos Santos”, afirmou. O Caixabank quer os 18% da empresária angolana, que por sua vez quer “um dos melhores ativos do BPI, o Banco Fomento de Angola”.

No entanto, não se entendem em termos de preço e Isabel dos Santos “tem a faca e o queijo na mão”, salientou.

Sobre as implicações políticas que este caso já teve, o ex-líder do Bloco de Esquerda referiu que o Executivo de António Costa quer que a situação se resolva com o entendimento entre as duas partes, salientou, lembrando de seguida as críticas de Passos Coelho sobre este “episódio”.

“Passos Coelho veio dizer que o Governo não se pode meter nisto. Todos os governos não fizeram outra coisa. O próprio Passos Coelho fez privatizações com escolha direta, sem concurso”, criticou, dizendo que é “ingénuo, até um pouco estranho” o líder do PSD ter feito esta declaração.

“Claro que o Governo deve intervir”, afirmou logo de seguida Francisco Louçã, recordando que Marcelo Rebelo de Sousa “foi lapidar desse ponto de vista pois (…) é uma necessidade política e do sistema financeiro”. (Noticias ao Minuto)

por Pedro Filipe Pina

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA