BPI cai 5,5% após fim das negociações entre o CaixaBank e Isabel dos Santos

(Miguel Baltazar)

O BPI está a desvalorizar na primeira sessão após o anúncio da ruptura das negociações entre o CaixaBank e a Santoro. As acções já chegaram a tombar 5,5%.

As acções do BPI regressaram à negociação em forte queda. Após quatro dias de paragem devido à Páscoa, os títulos já estiveram a cair um máximo de 5,5%, naquela que é a primeira sessão em que negoceiam após o CaixaBank ter informado que concluiu as negociações com Isabel dos Santos.

Os títulos do banco liderado por Fernando Ulrich seguem a ceder 3,33% para 1,248 euros, tendo já estado a desvalorizar 5,5% para 1,22 euros. Esta reacção negativa das acções surge depois do CaixaBank, o maior accionista da instituição, ter informado na passada quinta-feira, 24 de Março, que terminou as negociações para tentar comprar a posição da Santoro no BPI, sem que tenha sido possível um acordo com a empresa detida pela angolana Isabel dos Santos.

As acções do BPI têm vindo a ser sustentadas pela especulação de uma oferta pública de aquisição (OPA) sobre a totalidade do capital da instituição, pois caso comprasse a parte de Isabel dos Santos, o banco catalão teria que lançar uma oferta sobre o restante capital.

Os dois principais accionistas do BPI continuam, assim, sem chegar a um entendimento, num momento em que aperta o prazo para o banco apresentar a Bruxelas uma solução para resolver o risco de exposição a Angola.

O BPI tem até 10 de Abril para diminuir a sua exposição a Angola em quase três mil milhões de euros. Caso não o faça, o banco arrisca ter de pagar uma multa diária de 162 mil euros a partir daquela data.

Apesar de o CaixaBank ter anunciado a ruptura das negociações, os dois maiores accionistas do BPI deverão, porém, voltar às negociações para fechar um acordo que permita ao banco reduzir a sua exposição a Angola, tal como avançou o Negócios esta segunda-feira, 28 de Março. (Jornal de Negocios)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA