Benguela: Distribuição de água potável na zona alta do Lobito sobe para 300 metros cúbicos/hora

Directora provincial de Energia e Águas (Foto: António Lourenço)

A produção da água na zona alta da cidade do Lobito aumentou de 100 para 300 metros cúbico/hora, com a inauguração da nova subestação de água, afirmou a directora provincial da Energia e Águas de Benguela, Jandira Ribeiro.

Segundo a responsável, que falava nesta terça-feira, em conferência de imprensa, após uma reunião extraordinário do sector que dirige disse que, a produção anteriormente para a população do bairro 27 de Março terá feita de três em três dias, hoje tem água diariamente, fruto da inauguração da nova subestação.

Para o município de Benguela, a directora explicou que disse que para o município sede da província a produção diminuiu em cerca de 39 porcento de água, devido a avarias acentuadas nalgumas das bombas da ETA Benguela, R3, e no sistema da Baía Farta.

Além disso, acrescentou, nos últimos dias houve baixa de pressão da água devido a avaria na ETA Luongo, de uma das suas bombas, o que prejudicou a ausência do serviço, situação já ultrapassada, depois de se recuperar a conduta.

“Verificamos ao nível de Benguela e apresentaram-se problemas de zonas críticas da distribuição da água, nos bairros 4 de Abril, 11 de Novembro pelo facto do abastecimento ser feito de forma irregular, em função da baixa do défice de produção dos 39 porcento citados, que só chega para abastecer durante quatro ou seis horas por dia”, frisou.

De referir que, o encontro que visou aferir o funcionamento do sector na província de Benguela, abordou assuntos ligados o plano anual de manutenção das infra-estruturas de energia e água, dos projectos em curso, sobre o estado das áreas comerciais, assim a cobertura dos serviços do sector. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA