Ban Ki Moon e Jim Yong Kim homenageiam vítimas dos atentados de Tunis

(EURONEWS)

O Secretário-geral Nações Unidas, Ban Ki Moon, e o Presidente do Banco Mundial, Jim Yong Kim, iniciaram esta segunda-feira (28) uma visita oficial à Tunísia.

Um dos principais objetivos da visita é o de prestar homenagem às vítimas do atentado jihadista de Tunis, que teve lugar em março do ano passado.

Nesse sentido, os líderes das organizações internacionais estiveram no Museu Bardo, onde foram recebidos por membros do Governo tunisino.

A Ministra da Cultura tunisina, Sonia Mbarak, realçou, durante o encontro, a importância daquele museu para o país magrebino:

“O Museu Bardo é um lugar muito importante para todos nós. Por isso, decidimos continuar com as nossas vidas e a organizar iniciativas neste e noutros museus”, disse Sonia Mbarak.

“É a nossa forma de defendermos a nossa cultura e de defender o nosso direito à vida”, concluiu a Ministra da Cultura da Tunísia.

Pelo menos 22 pessoas morreram nos ataques jihadistas de 18 de março de 2015, a maioria das quais turistas estrangeiros. Morreu também um polícia local. Mais de 20 pessoas ficaram feridas naquele que foi um dos piores atentados da História da Tunísia.

Um grupo de homens armados invadiu o Museu Bardo quando centenas de turistas visitavam o local.

Os atacantes acabaram por morrer durante uma troca de tiros com a unidade de forças especiais da polícia tunisina, que tinha cercado o edifício.

Os ataques foram posteriormente reivindicados por um grupo jihadista que se dizia próximo do autoproclamado Estado Islâmico (EI) ou Daesh, pela sigla em língua árabe.

O Museu Bardo fica a uma curta distância do edifício do parlamento tunisino. No momento dos ataques, os representantes debatiam medidas mais estritas para combater o integrismo islâmico no país. (EURONEWS)

por António Oliveira e Silva | Com REUTERS

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA