Ataques na Tunísia deixam 21 jihadistas e quatro civis mortos

(AFP)

O Exército tunisino matou nesta segunda-feira 21 jihadistas que lançaram ataques contra instalações das forças de ordem no sudeste da Tunísia, anunciaram as autoridades, informando também sobre a morte de quatro civis.

“As unidades de segurança e militares mataram 21 terroristas e detiveram outros seis depois de ataques simultâneos de grupos terroristas armados contra esquadras da Guarda Nacional e da polícia e contra um quartel militar de Ben Guerdane”, uma cidade próxima à fronteira líbia, declararam os ministérios do Interior e da Defesa em um comunicado conjunto.

Trata-se de um balanço provisório, disse o comunicado, que também informa sobre a morte de quatro civis, sem informar as circunstâncias.

Pouco antes, o ministério da Defesa havia indicado que um soldado perdeu a vida nos confrontos registados após o ataque e fontes de saúde informaram sobre a morte de dois agentes de segurança.

“As unidades militares conseguiram frustrar um ataque contra um quartel em Ben Guerdane, lançado às 05h15 locais (01h15 de Brasília)”, havia dito à AFP um porta-voz do ministério da Defesa, Rachid Bouhoula.

Patrulhas do exército “foram mobilizadas na cidade de Ben Guerdane e controlam os acessos”, informou o porta-voz.

O governo falou, por sua vez, de um “ataque terrorista contra instalações militares e das forças de segurança em Ben Guerdane” e anunciou uma reunião de urgência do primeiro-ministro com os ministros de Interior e Defesa.

Habitantes da cidade disseram à AFP que ocorreram tiroteios durante a manhã e que helicópteros sobrevoam a localidade, onde o exército estava mobilizado.

O posto fronteiriço de Ras Jedir foi fechado por tempo indeterminado, indicou à AFP o ministério do Interior.

As autoridades proibiram a circulação nas estradas que levam a Zarzis e Djerba, indicou uma fonte de segurança.

Há meses o governo da Tunísia demonstra sua preocupação pela situação caótica na Líbia, país vizinho, onde o grupo jihadista Estado Islâmico (EI) se implantou.

Na quarta-feira passada, cinco homens armados provenientes da Líbia morreram em Ben Guerdane quando a guarda nacional invadiu a casa na qual se entrincheiraram.

Quatro destes homens eram de nacionalidade tunisina, segundo as autoridades.

O governo tunisino terminou há pouco tempo a construção de um “sistema de obstáculos” em cerca da metade dos 500 km de fronteira entre Tunísia e Líbia. (AFP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA