Aberto ano académico no Instituto Superior de Ciências Policias e Criminais

Ambrósio de Lemos - Comandante Geral da Polícia Nacional (Foto: Clemente Dos Santos/Arq)

O ano académico 2016, no Instituto Superior de Ciências Policiais e Criminais (ISCPC), foi aberto oficialmente nesta terça-feira, em Luanda, em acto presidido pelo comandante-geral da Polícia Nacional, Ambrósio de Lemos.

O acto tradicional universitário marca formalmente o início de um ano de actividades em que, a par da apresentação do balanço do ano académico transacto, foram anunciadas expectativas e as linhas orientadoras de funcionalidade.

O comissário-geral Ambrósio de Lemos exortou os membros deste instituto, funcionários, docentes e cadetes-alunos, no sentido de continuarem a dedicar todo saber para obter-se a pretendida excelência e qualidade no ensino policial.

Por outro lado, o director desta instituição policial de ensino, comissário Alberto Sebastião Mendes, fez saber que para o presente ano académico estão matriculados um total de 1.040 cadetes, sendo 190 do sexo feminino e 825 masculinos.

Deste número, 192 vão frequentar o 4º ano, sendo 133 no perfil de saída em segurança pública e 59 em investigação criminal. No 3º ano estão matriculados 328 cadetes, sendo 245 em segurança pública e 129 em investigação criminal.

No 2º ano estão matriculados 215 cadetes, ao passo que no 1º ano um total de 279 cadetes e destes 150 em regime interno e 129 externos.

A instituição conta igualmente com 17 cadetes estrangeiros, sendo 12 matriculados no 4º ano e cinco no segundo, no âmbito da cooperação entre os países, nomeadamente Cabo Verde, São Tomé e Príncipe, Guiné Conacry e Congo Brazaville.

O oficial comissário acredita que os cadetes matriculados possuem capacidades cognitivas, afectivas e físicas para frequentarem com aproveitamento o curso de licenciatura em ciências policiais, nas especialidades de segurança pública e investigação criminal.

Para garantir a formação dos cadetes matriculados no presente ano académico, o Instituto conta com 138 docentes, sendo 120 nacionais e 18 estrangeiros.

Aferiu que a direcção do instituto tem vários desafios para o presente ano académico, que se resumem na formação contínua do seu quadro docente, vinculando muitos deles apenas ao exercício da docência, para que possam construir permanentemente os conhecimentos necessários à formação policial.

A cerimónia ficou marcada por uma aula de sapiência, sobre os subsídios para melhorar a justiça penal, proferida pelo docente universitário José Ambrósio Eduardo Sambo, comissário da Polícia Nacional.

A pertinência na abordagem do tema responde a responsabilidade deste instituto, ao assumir-se como centro de produção de conhecimento científico, nos mais variados domínios das ciências policiais e afins.

O ISCPC foi criado à luz do Decreto Presidencial número 9/2012, com a missão de formar oficiais de polícia, com competências para o exercício de funções policiais, bem como garantir a formação contínua através dos cursos de capacitação, actualização e especialização, no âmbito das distintas especialidades que conformam a corporação.

No ano transacto defenderam as teses e lançados os primeiros quadros licenciados em ciências policiais em Angola. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA