Sporting-Boavista, 2-0

(Mais Futebol)

O Sporting recuperou a vantagem no topo da classificação com uma vitória inequívoca sobre o Boavista (2-0), depois de quebrar a resistência «axadrezada» com dois lances de bola parada no final da primeira parte. Uma vitória importante tendo em conta que o leão tem agora duas deslocações difíceis, a Leverkusen e Guimarães, antes do aguardado dérbi com o Benfica que pode definir as contas deste campeonato.

Mais mobilidade com Mané, mas faltou pontaria

Depois de algumas dificuldades para chegar perto da área de Mika, o Sporting chegava ao intervalo com uma vantagem sólida, conseguida em dois lances de bola parada, nos últimos cinco minutos da primeira parte. Uma vantagem confortável que levou o leão a entrar mais relaxado na segunda parte e, por muito pouco, não pagou caro por isso. Primeiro num remate cruzado de Afonso Figueiredo, já com Patrício batido, devolvido pelo poste. Pouco depois, num rápido contra-ataque, com Patrício, com uma estirada, a anular o remate de Iriberri que levava o selo de golo. Os leões voltavam a responder de bola parada, num livre de Adrien por cima da barra, mas Jorge Jesus não esperou muito mais tempo para abdicar de Teo Gutierrez [mais uma exibição dececionante] para lançar Carlos Mané.

Uma alteração com efeitos praticamente imediatos, com o ataque do Sporting a ganhar, desde logo, mais agilidade, agora com Gelson e Mané a provocarem desequilíbrios na área do Boavista. Mané deu logo nas vistas com uma assistência para Slimani que por pouco não resultou no terceiro golo. O Sporting, agora com mais bola, tinha agora o jogo totalmente sob controlo, com uma Boavista cada vez mais encolhido, mais determinado a não consentir mais golos do que a reduzir a diferença. Ainda assim, Rui Patrício voltou a ser solicitado para mais uma grande defesa, agora a remate de Anderson Carvalho, depois de uma perda de bola de Schelotto. Uma defesa comemorada em Alvalade como se fosse um golo.

A verdade é que os leões estavam definitivamente por cima do jogo e, já com Aquilani em campo, voltaram a estar muito perto do terceiro golo, num livre de laboratório, com Slimani a colocar Mika à prova com uma defesa apertada. Os minutos foram-se arrastando para o final, sempre com o leão a controlar o jogo diante de um Boavista pouco incómodo.

Sem realizar uma grande exibição, os leões conseguiram o essencial e seguem no topo da classificação, com mais três pontos do que o Benfica e mais seis do que o FC Porto. (Mais Futebol)

por Ricardo Gouveia

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA