Sociedade deve-se moldar na bravura e coragem dos heróis da pátria

Cuando Cubango: Membros presentes no acto central do 4 de Fevereiro (Foto: Armandio Morais)

O governador do Cuando Cubango Pedro Mutinde, defendeu hoje, quarta-feira, nesta cidade, que o espírito do 4 de Fevereiro de 1961 deve mudar o comportamento e atitudes dos angolanos, para um maior engajamento no trabalho, por formas a que todos juntos e unidos no mesmo pensamento e acções, possamos alavancar a economia nacional.

Ao intervir no acto central das comemorações do 55º aniversário do Início da Luta Armada de Libertação Nacional, cujo acto central teve como palco o Largo 23 de Março, na cidade de Menongue, capital do Cuando Cubango, Pedro Mutinde, disse que o trabalho dos angolanos deve reflectir-se no aumentando da produção nacional, visando o bem-estar social e contrariar os efeitos da crise económica e financeira mundial, provocada pela queda brusca do preço do petróleo no mercado internacional.

Sublinhou que as comemorações de tão importante efeméride representa um momento de alegria e de reconhecimento ímpar a todos heróis nacionais que, com elevado sentimento patriótico e bravura, empunharam-se com catanas para libertar os presos políticos que se encontravam encarcerados nas cadeias do regime colonial português de são Paulo, em Luanda.

Agradeceu, na ocasião, a honra e o privilégio que mereceu a província, noutrora chamada “Terras do Fim-do-mundo” e hoje “Terras do Progresso”, por ter sido escolhida ao mais alto nível para albergar o acto das comemorações do 4 de Fevereiro, Dia do Início da Luta Armada de Liberação Nacional, que culminou com a proclamação da independência a 11 de Novembro de 1975.

Realçou que o legado dos heróis da liberdade tem sido bem acompanhado pelo Presidente da República, José Eduardo dos Santos, destacando-o como um líder incontestável dos angolanos e arquitecto da paz definitiva em Angola, manifestando, por isso, todo apoio incondicional à mais alta liderança do país.

“O povo do Cuando Cubango, sendo um povo que não se verga, não se vende e não se rende, tenho a convicção que está e sempre estará ao lado do seu líder, para que todos juntos e unidos, possamos levar a bom porto os destinos desta grandiosa Angola, que nos viu nascer e crescer, resolvendo todos os problemas sociais e económicos que enfermam a sociedade, em particular as comunidades rurais”, concluiu Pedro Mutinde.

Presidido pelo Ministro da Defesa João Lourenço, o acto contou com as presenças da Ministra da Família e Promoção da Mulher, Filomena Delgado, os secretários de Estado dos Ministérios da Administração do Território e dos Antigos Combatentes e Veteranos da Pátria, Adão do nascimento e Clemente Conjuca respectivamente, o secretário do Bureau Político do MPLA para a política de quadros, Paulo Kassoma, distintos membros do governo central e provincial, autoridades tradicionais e eclesiástica, população em geral, entre outros convidados. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA