Sistema migratório da UE pode colapsar, alerta comissário

Refugiados em Idomeni, na fronteira entre a Grécia e a Macedónia (REUTERS)

É preciso conter número de refugiados chegando ao continente dentro dos próximos dez dias, diz encarregado de migração da União Europeia. Ministro do Exterior de Luxemburgo adverte que bloco caminha para “anarquia”.

O comissário de Migração da União Europeia (UE), Dimitris Avramopoulos, afirmou nesta quinta-feira (25/02) que o bloco tem até o próximo dia 7 de Março, quando será realizada uma reunião de cúpula com a Turquia, para conter o número de migrantes chegando ao continente. Caso contrário, o sistema migratório europeu poderá entrar em colapso.

“Nos próximos dez dias precisamos de resultados tangíveis e claros. Ou então há o risco de que o sistema entre em colapso total”, afirmou Avramopoulos, após um encontro de ministros do Interior em Bruxelas. Ele sublinhou que todos os Estados-membros “têm a responsabilidade de intensificar os esforços para aplicar as soluções acordadas”.

“Não há tempo para acções descoordenadas”, argumentou o comissário europeu, referindo-se à “possibilidade de uma crise humanitária” na Grécia e na rota dos Balcãs.

“Não podemos continuar a agir através de acções unilaterais, bilaterais e trilaterais. Os primeiros efeitos negativos e impactos já são visíveis”, disse. “Temos uma responsabilidade comum, tanto perante nossos vizinhos, membros ou não da UE, quanto perante essas pessoas desesperadas.”

Controles de fronteira restabelecidos por sete países e limites diários para a entrada de refugiados introduzidos pela Áustria nos últimos dias deixaram milhares de migrantes retidos entre os Estados-membros do bloco, sobretudo na Grécia. O primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, ameaçou vetar acordos legais do bloco caso a situação não melhore.

A cúpula entre a UE e a Turquia, marcada para o início de março, promete ser crucial tanto em relação a um acordo para conter o fluxo de refugiados, assinado por Bruxelas e Ancara em Novembro passado, quanto para a unidade da UE diante da crise migratória.

Se a reunião não tiver resultado, serão necessárias “outras medidas europeias coordenadas”, alertou o ministro do Interior alemão, Thomas de Maizière. “Até 7 de Março, queremos uma redução significativa no número de refugiados na fronteira entre a Turquia e a Grécia.”

O ministro do Exterior de Luxemburgo, Jean Asselborn, disse que o bloco está caminhando para a anarquia. “Não temos mais uma linha comum […] Temos que nos unir antes que seja tarde demais.”

Mais de 1 milhão de refugiados chegaram à Europa em 2015. Outros 110 mil chegaram ao continente neste ano. (DW)

LPF/lusa/afp/rtr/dpa

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA