Síria: vasta ofensiva em Alepo e suspensão do diálogo de paz

(EURONEWS)

Intensos combates no terreno e negociações de Genebra suspensas: a paz na Síria volta a parecer uma longínqua miragem.

Apoiado pela aviação russa e por combatentes do Hezbollah, o Exército sírio conduz uma vasta ofensiva que permitiu cortar a principal rota de abastecimento dos rebeldes em Alepo, apertar o cerco na antiga capital económica do país e entrar nas localidades vizinhas de Nubul e Zahraa.

O Kremlin confirmou esta quinta-feira a morte de um conselheiro militar russo na Síria, sem avançar outros dados. A agência turca Anadolu disse que quatro generais russos foram mortos na região de Latakia, com base numa fonte da oposição síria.

O que é certo é que a ofensiva de Aleppo teve um papel central na suspensão – até 25 de fevereiro – das difíceis negociações de paz em Genebra, anunciada pelo emissário da ONU, Staffan de Mistura.

O líder da delegação do governo sírio, Bashar al-Jaafari, defendeu que “os desenvolvimentos militares no terreno foram cruciais. [A oposição] decidiu retirar-se depois da abertura da estrada para Nubul e Zahraa”.

A Rússia disse “lamentar” a suspensão do diálogo, mas defendeu a intervenção militar na Síria.

O chefe coordenador da equipa negociadora da oposição síria, Riad Hijab, diz que veio a Genebra “para provar que nem o regime [de Bashar al-Assad], nem os seus aliados, acreditam numa solução política”.

Os Estados Unidos acusaram Moscovo e Damasco de “privilegiar uma solução militar” e a França condenou uma “ofensiva brutal”, que “retira o sentido” às discussões de Genebra. (EURONEWS)

por Rodrigo Barbosa | com AFP / REUTERS / ANADOLU

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA