Quem vão afinal apoiar as tropas sauditas na Síria?

(AFP 2016/ FAYEZ NURELDINE)

Os EUA e a Arábia Saudita discutem uma possível operação no terreno contra o Daesh, também conhecido como Estado Islâmico, na Síria, disse o representante oficial do Departamento do Estado, John Kirby.

Na quinta-feira (4) a Arábia Saudita expressou a sua vontade de dirigir à Síria as suas tropas com a condição de a missão ser coordenada com a coligação liderada pelos EUA, disse o conselheiro do Ministério da Defesa saudita, Ahmed Asseri.

“Temos de saber mais sobre esta proposta… Estamos a discutir com os sauditas quais são os seus parâmetros e intenções”, afirmou o ministro

Além disso, o canal norte-americano CNN citou hoje fontes que afirmam que Riad e os seus aliados estão a preparar até 150 mil militares para uma possível operação na Síria. Esta operação incluiria ainda militares egípcios, sudaneses e jordanos.

No entanto, o chefe do departamento de relações internacionais do Ministério do Ensino Superior sírio, Akil Mahfoud, disse à RIA Novosti que Riad irá de fato ajudar os grupos terroristas no país árabe devastado pela guerra.

O reino do petróleo “irá fornecer grande apoio a Frente al-Nusra, Ahrar al-Sham e outros grupos similares, sob o pretexto de combater o Daesh”, disse ele. “Qualquer intervenção na Síria será realizada, sem dúvida, para mudar o curso da guerra no país. Ela irá dificultar o sucesso do Exército Árabe da Síria. E aqueles que virão não combaterão contra o Daesh independentemente do que a Turquia e a Arábia Saudita dizem».

O cientista político afirma que Riad terá decidido enviar o seu exército para a Síria porque as forças lideradas por Damasco, auxiliadas por aviões de guerra russos e combatentes do Hezbollah, têm ultimamente avançado, enquanto os grupos terroristas estão recuando. O exército sírio teve recentemente grandes vitórias nas províncias de Aleppo, Latakia e Daraa. (SPUTNIK)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA