Protestos de casta deixaram 19 mortos no norte da Índia

(AFP)

Representantes da casta dos Jat aceitaram uma proposta do governo do estado de Haryana, norte da Índia, o que pode acabar com os protestos sociais que deixaram 19 mortos nos últimos dias.

“Aceitamos a proposta do governo de Haryana e estamos consultando outros dirigentes dos Jat para chegar a um consenso e cessar os protestos”, disse Yashpal Malik, líder de um grupo de organizações desta casta.

Os integrantes desta casta protestam há vários dias para exigir postos de trabalho no funcionamento público e vagas nas universidades para seus filhos.

O balanço dos distúrbios relacionados ao sistema de castas no norte da Índia subiu a 19 mortos e mais de 200 feridos, anunciou o governo local nesta segunda-feira.

O recolher obrigatório imposto após os actos de violência de sexta-feira no estado de Haryana foi suspenso em alguns pontos.

O balanço de 19 mortos foi confirmado por P. K. Das, alto funcionário do ministério do Interior estadual.

“Aconteceram alguns confrontos durante a noite no distrito de Bhiwani e o recolher obrigatório continua em vigor no local, mas foi retirado em outros distritos”, disse.

Após os protestos violentos da casta dos Jat, o governo de Haryana aceitou as reivindicações.

A crise teve repercussões em Nova Délhi, onde o abastecimento de água foi prejudicado quando manifestantes provocaram o encerramento das comportas de um canal que alimenta as centrais de tratamento da capital indiana.

O canal foi reaberto e o abastecimento da cidade não está mais sobre ameaça.

Os Jat são uma comunidade tradicionalmente rural que representa 29% da população do estado de Haryana. Em Março de 2014, o governo indiano determinou a reserva de vagas para a casta em todo o país, mas a decisão foi anulada pelo Tribunal Supremo do país. (AFP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA