Programa multisectorial responde aos objectivos do UN-habitat- diz ministro do Urbanismo e Habitação

José Silva, Ministro do Urbanismo e Habitação (Foto: Cedida a Angop)

O ministro do Urbanismo e Habitação, José da Silva, afirmou nesta quinta-feira, que o programa multi-sectorial executado pelo Executivo Angolano responde aos objectivos delineados pelo Programa das Nações Unidas para os Assentamentos Urbanos (UN-HABITAT).

Em entrevista à Angop via telefone para uma abordagem sobre a participação do país na reunião de ministros da União Africana responsáveis pelo desenvolvimento Urbano sobre Habitat III que decorre até ao dia 27 deste mês, em Abuja, Nigéria, José da Silva frisou que Angola tem cumprido as directrizes emanadas pelo programa da ONU.

“É bastante satisfatório o resultado alcançado até ao momento por Angola no que diz respeito às metas estabelecidas pelo ONU-Habitat. Angola tem especificidades próprias de um país que recupera de uma longa guerra”, referiu o governante angolano.

De acordo com José da Silva, o país tem estado a cumprir na íntegra os objectivos ligados a organização, acesso à habitação, combate à pobreza e à fome, igualdade do género e água para todos.

O ministro avançou que para responder aos desafios do sector foi criado, pelo Chefe do Executivo, o Comité Nacional do Habitat cuja missão é elaborar a política do urbanismo, tendo em conta as directrizes do ONU- Habitat.

Sobre a participação no encontro, o ministro adiantou que é uma oportunidade para debater e projectar novos caminhos para responder aos desafios da urbanização e as oportunidades que isso oferece para a implementação de objectivos de desenvolvimento sustentável.

“A conferência promete ser única no sentido de trazer diferentes actores urbanos tais como governos, autoridades locais, sociedade civil, sector privado, instituições académicas e todos os grupos relevantes para revisar as políticas urbanas”, disse o ministro.

A referida reunião tem como finalidade definir a agenda internacional em matéria de desenvolvimento urbano para as próximas décadas e a posição comum Africana sobre o Habitat III.

A actividade reúne cerca de 50 participantes, dentre eles ministros, decisores políticos, especialistas e profissionais das áreas, sectores de assentamentos humanos e desenvolvimento urbano, bem como os principais parceiros da agenda Habitat da África. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA