Primeiro-ministro irlandês diz que quer evitar exemplo de Portugal

O primeiro-ministro irlandês, Enda Kenny, disse em conferência de imprensa não querer seguir o exemplo de Portugal Foto: Lusa/D.R

Portugal está a pagar um preço “terrível” pela instabilidade política, considerou ontem o primeiro-ministro irlandês, Enda Kenny, numa altura em que tenta manter a popularidade da coligação que lidera antes das eleições.

Kenny, citado pela agência Bloomberg, falava aos jornalistas em Dublin depois ter anunciado no início do mês a realização de eleições legislativas a 26 de fevereiro e de as sondagens indicarem que a coligação que lidera dificilmente atingirá uma nova maioria.

O primeiro-ministro irlandês disse ainda que a recuperação económica da Irlanda “não deve ser dada como garantida”.

“Não é altura de correr riscos com a economia da Irlanda. (…) O estado da nossa recuperação exige estabilidade, segurança, cabeça fria, mãos firmes e um plano a longo prazo focado na construcao de uma economia forte”, acrescentou, citado pelo jornal The Irish Times.

Em Portugal, depois de a coligação governamental cessante não ter conseguido o apoio maioritário nas eleições legislativas de outubro, os socialistas, segunda força mais votada, acabaram por formar governo, com o apoio parlamentar dos partidos mais à esquerda.

O primeiro-ministro, António Costa, anunciou a intenção de virar a página da austeridade imposta durante o programa de resgate, que foi concluído em 2014.

A Irlanda saiu do programa de assistência financeira em dezembro de 2013 e teve também de aplicar duras medidas de austeridade.

As medidas económicas restritivas deixaram marcas na população e o aparecimento de novos partidos e movimentos contra a austeridade estão a ser vistos como uma possibilidade de mudança política no país. (Agência Lusa – EO (JSD)/PNG)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA