Polícia Nacional com notável crescimento de forças e meios

Ambrosio de Lemos Comandante Geral da Policia Nacional (Foto: Francisco Miudo)

A Polícia Nacional tem evidenciado nos últimos tempos um notável crescimento de forcas e meios, sustentados por uma estratégia de modernização e intervenção policiais com capacidade de adaptação permanente aos vários desafios, decalcou neste domingo, em Luanda, o comandante-geral da corporação, Ambrósio de Lemos.

Ao discursar no acto central dos 40 anos da Polícia Nacional, o Comissário Geral Ambrósio de Lemos, declarou que os desafios da corporação se consubstanciam numa polícia moderna, defensora dos direitos e liberdades e garantias fundamentais dos cidadãos, a protecção das pessoas e seus bens, tendo como substrato o princípio da legalidade e da preservação do interesse público.

Fez saber que no âmbito do seu Programa de Modernização e Desenvolvimento 2013/2017, aprovado pelo Presidente da República e Comandante em Chefe das FAA, José Eduardo dos Santos, a Polícia Nacional adequou a sua organização e funcionamento aos desafios da actualidade, expressos na Constituição da República de Angola.

Afirmou que tal desiderato tem sido realizado com êxito em relação a absorção do princípio da participação comunitária em questões de segurança, o que abriu uma nova era no policiamento de proximidade orientado para os problemas locais das populações.

Para si, o actual desenvolvimento da PN e experiências adquiridas são a base para os êxitos que têm sido alcançados na prevenção do crime e combate à criminalidade.

Expressou igualmente que a corporação está apostada em melhorar cada vez mais o desempenho e qualidade e a extensão dos seus serviços em todo o território nacional.

Para si, a trajectória da Polícia Nacional e seu desenvolvimento, aconselhou a uma leitura nos olhos postos no passado, a fim de se compreender e ter uma visão realista da corporação, como uma instituição policial comprometida com a paz, a democracia, imparcialidade e entendimento enquadrado nos desígnios do Executivo relativos à reconstrução, desenvolvimento e estabilização do país. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA