Pesquisa mostra resultados animadores sobre parceria TAAG/Emirates

Parceria TAAG/Emirates (Foto: Angop/Arquivo)

A melhoria da prestação de serviços pela Transportadora Aérea Angolana (TAAG) é o que se espera do acordo de parceria com a Fly Emirates, à luz do entendimento bilateral para cinco anos, segundo resultados do inquérito da Angop realizado entre 03 de Novembro de 2015 e 10 de Fevereiro deste ano.

De acordo com o resultado, 69 porcento dos internautas acredita na “melhoria da prestação de serviços”, tendo 466 pessoas manifestado esperança em dias felizes, enquanto 133 participantes aposta no “aumento do volume de receitas” e 79 visitantes do portal auguram “regularidade e pontualidade dos voos” da companhia de bandeira do país. No inquérito participaram 678 internautas.

O acordo bilateral de parceria estratégica foi assinado a 29 de Setembro de 2014 e, depois de um período de graça, a TAAG passou finalmente a voar, em 2015, sob gestão exclusiva da transportadora do Médio Oriente do Grupo Emirates.

O negócio visa ajudar a companhia nacional de bandeira a reverter, até 2019, os prejuízos estimados em 99 milhões de dólares (cerca de nove triliões e 900 biliões de kwanzas) de 2014. Através desta parceria, o Governo angolano prevê, dentro do período vigente, resultados operacionais positivos de cem milhões de dólares (perto de AKZ dez triliões), conforme o Plano Estratégico e de Negócios da TAAG, no âmbito do Contrato de Gestão celebrado com a Fly Emirates.

A formação de angolanos na academia da Emirates (no Dubai) e a introdução de uma gestão profissional de nível internacional são os objectivos principais deste contrato, que assenta ainda na reestruturação financeira da empresa, com a meta de facturação anual a passar de 700 milhões de dólares, em 2014, para USD 2,3 biliões, até ao final do pacto.

No quadro desta cooperação, o inglês Peter Murray Hill é o novo presidente do Conselho de Administração, em substituição do angolano Carlos Teixeira da Cunha, que assume o actual posto de administrador-executivo, e Vipula Mathanga Gunatilleka, responsável pela área Financeira e Administrativa.

Os demais cargos administrativos têm à cabeça Patrick Rotsaert (administrador para Área Comercial) e Donald Ian Hunter (administrador para Área das Operações), ao passo que Luís Eduardo dos Santos, Arlindo de Sousa e Silva, Mário Rogério Henrique de Oliveira Von Haff e Adelaide Isabel de Sousa Godinho preenchem as vagas de não-executivos. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA