Milhares de russos saem às ruas para lembrar aniversário da morte de opositor

(AFP)

Milhares de pessoas saíram às ruas neste sábado em Moscovo para lembrar o primeiro ano desde o assassinato do opositor Boris Nemtsov, baleado perto do Kremlin, em um crime ainda não esclarecido.

Os manifestantes gritavam palavras de ordem contra o governo de Vladimir Putin, vigiados pela polícia, que enviou um helicóptero para acompanhar o protesto.

Nemtsov foi morto com quatro tiros nas costas quando voltava para casa com sua namorada, italiana.

Com bandeiras da Rússia, cartazes, fotos e flores, os manifestantes lembraram o opositor, morto aos 55 anos.

Nemtsov, ex-vice-primeiro ministro, foi um dos protagonistas da onda de protestos que marcou a campanha eleitoral de Putin em 2011-2012, quando ele se candidatava ao terceiro mandato como presidente.

Segundo o Ministério do Interior, o protesto reuniu 7,5 mil pessoas em Moscovo, mas a AFP contabilizou mais de 20 mil. Em São Petersburgo, autoridades divulgaram um número de 4 mil pessoas.

Semanas após o assassinato de Nemtsov, que causou comoção em todo o mundo, cinco suspeitos, todos tchetchenos, foram presos pela Justiça russa. Depois, os acusados denunciaram torturas.

Pessoas do entorno de Nemtsov afirmam que os autores do crime têm ligação com o presidente tchetcheno, Ramzan Kadyrov. Para os simpatizantes do opositor, ele teria sido morto por ordem de altos cargos do governo, a fim de silenciar os dissidentes.

Alguns cartazes também denunciavam a crise económica que atinge a Rússia há quase dois anos. (AFP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA