Mensagem da LIMA por ocasião do 22 de Fevereiro de 2016

(UNITA)

“ Os Homens passam, mas os seus feitos permanecem sempre vivos para a posteridade”.
Dr. Savimbi

Nascido aos 3 de Agosto de 1934, no Munhango Província do Bié, filho de Loth Malheiro e de Helena Mbundu Sakato, o Dr Jonas Malheiro Savimbi morreu em combate aos 22 de Fevereiro de 2002 no Lukusse, Leste de Angola, no culminar de uma carreira ininterrupta por Angola e pelos angolanos.
O Dr, Jonas Malheiro Savimbi escreveu com letras de ouro as páginas mais belas da nossa história de Angola, de África e do Mundo.

Saudoso Presidente!

Nós Mulheres da LIMA, organização por vós criada no Kutaho , Província do Moxico, aos 18 de Junho de 1972, honraremos para sempre a vossa memória, traduzindo em acções os vossos doutos ensinamentos. Tão cedo partistes, mas estais e estareis sempre presente, através das vossas obras que permanecem cada vez mais actuais entre os angolanos.

O desaparecimento físico do Presidente Fundador Dr. Jonas Malheiro Savimbi, em 2002, levou os analistas mais pessimistas a vaticinar o desaparecimento consequente da UNITA. Mas, as luzes do vosso pensamento clarividente têm sabido iluminar os caminhos e a solidez da filosofia política e a sagacidade dos quadros e militantes permitiram o ressurgimento do Partido, que com vigor e determinação desbrava os caminhos para a vitória nas eleições de 2017, sob sábia liderança do Dr. Isaías Henrique Ngola Samakuva.

Por ocasião desta data, o 22 de Fevereiro de 2016, a LIMA curva-se perante a memória do Presidente Fundador, percursor de todas as conquistas políticas e sociais que Angola tem registado, e rende mais uma vez uma singela homenagem ao homem que tudo deu para transformar Angola num país para se nascer e viver, com o usufruto do bem – estar para todos os filhos desta bela Pátria.

A Justiça social e a solidariedade nacional, são valores que estiveram na base do combate do Dr. Jonas Malheiro Savimbi contra o regime colonial Português e contra o monopartidarismo.

Por ocasião do 22 de Fevereiro de 2016, a Liga da Mulher Angolana junta-se às vozes de condenação ao enriquecimento ilícito de pequenos grupos no país em que a pobreza extrema assola a maioria da população angolana, como resultado de politicas desajustadas do Executivo.

A LIMA apela o Executivo a encontrar soluções para as várias epidemias que assolam as populações com registos de mortes assustadoras, a exemplo da malária, o VIH/SIDA, a que se junta o surto da Febre Amarela e Chikungunha, vulgo Katolotolo.

Para terminar, habita em nós Mulheres da LIMA, a forte convicção de que com a UNITA no leme dos destinos de Angola, estarão asseguradas: a defesa dos Direitos Humanos, a Justiça social e a erradicação da corrupção que enferma a nossa sociedade, fruto do longo consulado do Presidente José Eduardo dos Santos.

Dr. Savimbi! Honraremos para sempre a vossa memória.

LIMA- PÁTRIA
LIMA- UNIDADE
Bié, aos 22 de Fevereiro de 2016
O Comité Nacional da LIMA

(nota de imprensa enviada à redacção do Portal de Angola com pedido de publicação)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA