Lunda Sul: Abandono de crianças preocupa responsável

elevado número de crianças abandonadas preocupa responsável (Foto: ANGOP)

A diretora provincial da Família e Promoção da Mulher na Lunda Sul, Maria Ulumbo, manifestou-se hoje, quarta-feira, preocupada devido o elevado número de crianças abandonadas pelos pais e outros encarregados de educação, nas ruas da cidade de Saurimo.

Em declarações à Angop, Maria Ulumbo afirmou que nos últimos anos se registam muitos casos de menores “largados à sua sorte” pelos pais ou outros familiares, em algumas situações são acusados de prática de feitiçaria.

Segundo a fonte, o mau ambiente familiar, como conflitos entre os pais e os maus tratos dos filhos, é uma das principais razões da fuga das crianças das casas para as ruas da cidade de Saurimo.

Por este facto, apelou à sociedade no sentido de proteger cada vez mais as crianças abandonadas, através de iniciativas que ajudam a resolver os conflitos familiares e criar ambientes sociais mais favoráveis para o seu crescimento saudável e feliz.

Admitiu ser necessário apoiar os programas de desenvolvimento da criança pelo facto dos menores serem os futuros homens e mulheres que vão trabalhar para o crescimento do país.

Revelou que a maior parte dos casos de delinquência na cidade de Saurimo estão a ser praticados por menores de idade, influenciados por adultos, o que preocupa não só o governo local, mas, também, a sociedade, no seu todo.

Maria Ulumbo mostrou-se preocupada com casos de exploração de menores na região, tendo realçado que se tem verificado muitos petizes a venderem nos mercados e a deambularem pelas artérias de Saurimo a comercializarem produtos, o que não é bom para o seu crescimento sadio.

Lamentou o facto de muitos pais e encarregados de educação assumirem que têm mandado seus filhos trabalharem antes dos 18 anos, alegando que os mesmos devem começar cedo, porque também foram educados assim e que é um costume familiar.

Para resolução destes fenómenos, Maria Ulumbo defende o envolvimento de toda força viva da sociedade, especialmente as igrejas, por serem instituições de transmissão de valores. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA