Ler Agora:
Juros da dívida portuguesa continuam sob pressão, sobem para 4,4%
Artigo completo 2 minutos de leitura

Juros da dívida portuguesa continuam sob pressão, sobem para 4,4%

A taxa das obrigações portuguesas a dez anos aumenta 30 pontos base esta sexta-feira para 4,409%. Prémio de risco voltou a ultrapassar os 400 pontos base.

Mais um dia de nervosismo no mercado de dívida nacional. A taxa a dez anos escala 30 pontos base para 4,409%, a sétima sessão consecutiva de agravamento dos juros implícitos de Portugal. Isto depois de na quinta-feira, as obrigações portuguesas terem vivido uma dos dias mais voláteis dos últimos anos, com a taxa a subir de 3,9% para 4,5% em cerca de duas horas. A “yield” terminaria o dia em 4,107%.

A subida da taxa nacional esta sexta-feira ocorre num dia em que os mercados mostram alguma acalmia. As bolsas europeias recuperam e as taxas da dívida italiana, por exemplo, até conseguem uma descida ligeira de 1,4 pontos base para 1,7%. Já as obrigações espanholas estão praticamente inalteradas com a taxa a subir 0,8 pontos base para 1,788%.

Os analistas têm justificado a instabilidade no mercado de dívida nacional com os receios sobre a reacção das agências de “rating” ao Orçamento do Estado para 2016. E consideram que aumentou o risco da DBRS, a única das quatro agências seguidas pelo BCE com “rating” acima de “lixo”, corte a notação de Portugal em Abril.

“Vemos agora um maior risco de Portugal perder o seu único “rating” de grau de investimento, concedido pela DBRS. Esta classificação é crucial já que é necessário pelo menos uma notação de grau de investimento para um país ser elegível para o programa de compras do BCE”, considerou Diego Iscaro, economista da IHS Global Insights. (Jornal de Negocios)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos com são obrigatórios *

Input your search keywords and press Enter.
Translate »