Ler Agora:
Huambo: Provedoria de Justiça carece de técnicos especialistas
Artigo completo 2 minutos de leitura

Huambo: Provedoria de Justiça carece de técnicos especialistas

A Provedoria de Justiça no Huambo necessita de mais 14 técnicos para melhorar o trabalho de protecção e garantia dos direitos dos cidadãos na região, entre os quais três licenciados nas especialidades de Direito, Psicologia e Sociologia.

O facto foi expresso hoje pelo Provedor da região, Gabriel David Saquenha, em declarações à Angop, tendo referido, na ocasião, que a instituição reduz-se, actualmente, ao Provedor.

Afirmou que a Provedoria precisa de ter um quadro de pessoal que permitam a resolução das situações ilícitas entre os cidadãos que chegam aos tribunais, do ponto de vista jurídico, psicológico e social.

No seu entender, a solução das situações sociais actuais não passa apenas por via do direito, tido até ao momento como principal instrumento de resolução dos problemas, exigindo, acima de tudo, a sua percepção na vertente psicológica, antropológica, psicológica e sociológica.

Desta forma, disse, permite-se tomar medidas acertadas em função dos estudos que se vão realizar nestas áreas, acerca das situações concretas.

Explicou que a ideia do alargamento do quadro do pessoal da Provedoria enquadra-se na dinâmica e no processo de desenvolvimento que a sociedade tem registado, de modo a melhor defender os direitos fundamentais dos cidadãos, sobretudo os direitos humanos que se estabelecem na relação entre os cidadãos e as organizações governamentais.

“Queremos firmar a nossa ideologia com o reforço das capacidades quer materiais, técnicas e humanas, para que sejam acauteladas as situações de violação dos direitos dos cidadãos”, asseverou.

É preciso que o quadro a nível da Provedoria, enquanto órgão intermediário entre os cidadãos e as instituições encarregues pela administração de justiça, seja aceitável, heterogéneo, mereçam respostas adequadas, acrescentou.

Outra preocupação manifestada pelo provedor é a falta de instalações condignas de funcionamento, tendo referido que há promessas do governo local para se ultrapassar a situação que tem dificultado os serviços da instituição, em termos de acomodação dos cidadãos que procuram pela provedoria para exporem as suas queixas. (ANGOP)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado. Os campos com são obrigatórios *

Input your search keywords and press Enter.
Translate »