Higino Carneiro apela engajamento da sociedade na luta contra o mosquito da febre-amarela

Governador Higino Carneiro (Foto: Joaquina Bento)

O governador provincial de Luanda, Higino Lopes carneiro, apelou hoje, segunda-feira, aos profissionais de saúde e a população em geral que se engajem e mobilizem suas lideranças no combate ao Mosquito Aedes Aegypti, transmissor da febre-amarela, principalmente com o reforço do saneamento básico do meio e das medidas de higiene colectiva.

Num comunicado de imprensa chegado hoje à Angop, o governador apela aos munícipes, comissões de moradores, líderes religiosos, empresários, meios de comunicação social, sociedade civil e outros parceiros a colaborar activamente na implementação das medidas de prevenção da febre-amarela e evitar a reprodução de mosquitos dentro e fora da residência.

Entre elas, figuram o uso de redes milimétricas nas janelas, dormir debaixo do mosquiteiro impregnado e usar insecticida (repelente, sheltox, dragão, etc.), bem como usar roupas compridas.

Tapar cuidadosamente os recipientes de água, mudar todas as semanas a água dos vasos, colocar uma gota de Bactivec para cada 5 litros de água em reservatórios de água e combater as larvas e criadouros de mosquitos à volta das residências, devem ser procedimentos a observar.

Outras medidas passam por evitar a acumulação de água em calhas, pneus, garrafas e outros recipientes que possam ser criadores de mosquitos, colaborar para a melhoria do saneamento básico, recolher e acondicionamento do lixo.

Por outro lado, o Governo provincial de Luanda enaltece a todas as pessoas singulares e colectivas, famílias e comunidades no apoio do esforço em curso para permitir uma resposta rápida e eficaz da epidemia de febre-amarela no município de Viana e outras áreas afectadas.

Segundo o Ministério da Saúde, a capital angolana está a viver uma epidemia de febre-amarela desde Dezembro de 2015, que é transmitida pela picada do mosquito Aedes Aegypti, com a ocorrência de seis casos, dos quais quatro óbitos, notificados no município de Viana.

No começo, a pessoa sente febre, cefaleias (dor de cabeça), fraqueza, vomito, sintomas que lembram outras doenças como a dengue. A pessoa tem uma melhora rápida clinicamente e pensa que está curada.

Depois de três a quatro dias o caso pode se agravar com febre alta, hemorragia e levar a morte, por isso, ao ter esses sintomas a pessoa deve ir a uma unidade de saúde mais próxima.

Com vista ao combate da febre-amarela, o Governo Provincial de Luanda vai terça-feira lançar uma campanha para a intensificação do controlo e eliminação da doença, no município de Viana, epicentro do surto.

A campanha de combate à doença abarca acções de sensibilização das populações para o reforço das medidas de prevenção como tapar os recipientes de água, colocar óleo queimado nos charcos proteger-se contra a picada de mosquitos.

Consta ainda das acções, a distribuição de mini doses de Bactivec (desinfectante para água), tratamentos de criadores de larvas do mosquito, fumigação intra e extra domiciliar, bem como a vacinação, principalmente de crianças. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA