Há um novo prémio de dez mil euros para escritores emergentes dos PALOP

(Foto: D.R.)
(Foto: D.R.)

As candidaturas ao Prémio Literário Eduardo Costley-White, iniciativa da Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento e das Edições Esgotadas, estão abertas até 15 de Abril.

A Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento (FLAD) e as Edições Esgotadas lançaram esta quinta-feira o Prémio Literário Eduardo Costley-White, no valor de dez mil euros, que vai distinguir escritores emergentes dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP). Autores oriundos de Angola, Moçambique, Cabo Verde, Guiné e São Tomé e Príncipe poderão concorrer até 15 de Abril. A obra vencedora terá edição garantida pelas Edições Esgotadas

O prémio, explicou a FLAD em comunicado, “celebra os 800 anos da língua portuguesa, homenageando um dos expoentes máximos da poesia moçambicana, que dá nome ao prémio literário a ser atribuído”. Eduardo Costley-White, autor de O Manual das Mãos,  morreu em Agosto de 2014, aos 50 anos. Natural de Quelimane, e filho de mãe portuguesa e de pai inglês, começou a publicar em 1984, com a obra Amar sobre o Índico. Pertenceu à geração literária fundadora da Revista Charrua – a chamada “Geração Charrua” –, da Associação dos Escritores Moçambicanos (AEM), da qual foi um membro destacado, e publicou mais de uma dezena de títulos. Ao longo do seu percurso, Costley-White recebeu o Prémio Nacional de Poesia Moçambicana, o Prémio Consagração Rui de Noronha e o Grande Prémio de Literatura José Craveirinha, de Moçambique, entre outras distinções.

O prémio com o seu nome surge meses depois de a FLAD ter lançado o programa FLAD África, uma iniciativa a quatro anos que tem por objetivo retomar a presença da fundação no continente. “O papel da FLAD não se limita a aprofundar a relação entre Portugal e EUA, uma vez que o reforço das relações de Portugal com África, através das comunidades portuguesas e africanas, constitui um importante pilar da nossa atuação”, explicou, na mesma nota o presidente da FLAD, Vasco Rato.

Além da celebração dos oito séculos da língua portuguesa, com este prémio, a FLAD pretende assinalar também a comemoração dos seus 30 anos e os 20 anos de existência da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP). (publico)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA