EUA: retirada das Farc de lista terrorista depende de desarmamento total

(AFP)

Uma eventual retirada das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) da lista de organizações terroristas elaborada por Washington dependerá do desarmamento total do grupo guerrilheiro e do abandono de actividades ilegais – informou nesta terça-feira um diplomata americano de alto perfil.

Os Estados Unidos podem iniciar a revisão da inclusão das Farc na lista de organizações terroristas, se o grupo guerrilheiro “se desarmar completamente”, declarou o enviado americano para o processo de paz colombiano, Bernard Aronson, durante uma tele-conferência.

“Se as Farc se desarmarem completamente, se afastarem de toda actividade ilegal e avançarem em um processo de afastamento de todas as suas actividades criminosas anteriores, então, este processo (de retirada) poderá ser realizado”, completou Aronson.

Segundo o diplomata, uma organização designada como terrorista pelo Departamento de Estado americano deve abandonar a violência e “deixar de ser hostil para os cidadãos e para os interesses americanos” antes de poder ser avaliada sua retirada da lista.

Como este processo terminará para as Farc “dependerá das condições dentro da Colômbia”, afirmou.

Os Estados Unidos, que em 1997 designaram o grupo como organização terrorista, acusam a guerrilha de actividades de narcotráfico.

Guerrilha mais antiga da América Latina, as Farc negociam com o governo do presidente Juan Manuel Santos, em Havana, um processo de paz para acabar com o conflito armado interno de mais de meio século.

Santos chega amanhã a Washington. Na quinta, ele se reúne com o presidente Barack Obama para abordar, entre outros pontos, a ajuda americana no pós-conflito. (AFP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA