Embaixador português destaca fortalecimento da cooperação

Presidente da República de Angola, José Eduardo dos Santos, durante acreditação do novo embaixador de Portugal, João José Caetano (Foto: Lucas Neto/Arq)

O novo embaixador de Portugal, João José Gomes Caetano, definiu hoje (quinta-feira), em Luanda, como linhas de força na sua missão em Angola, a promoção e fortalecimento das relações de cooperação entre os dois países.

Falando à imprensa, no seu primeiro pronunciamento logo após entrega das suas cartas credenciais ao Chefe de Estado angolano, José Eduardo dos Santos, o diplomata português considerou as mesmas ( relações) “muito intensa, de grande amizade e alguma complexidade, mas que o seu objectivo principal é o de fazer mais e melhor, sendo um interlocutor próximo e credível do governo de Angola”.

“Temos uma grande vontade, expectativa e determinação de cooperar com as autoridades angolanas na agenda da diversificação da economia”, salientou o diplomata luso, que na ocasião anunciou para a próxima semana a realização, em Lisboa, de uma conferência sobre investimentos em Angola.

Informou que, nesta conferência, participarão numerosos empresários portugueses, o ministra do Comércio e da Economia de Portugal. “Estamos disponíveis a colaborar em outras acções e apoiar os objectivos do governo angolano na diversificação da economia, com principal ênfase no domínio da agricultura”, sublinhou.

Nascido aos 26 de Abril de 1956, em Lisboa, João Gomes Caetano e licenciado em direito pela faculdade de Direito de Lisboa.

Na sua carreira exerceu vários cargos com referência aos de adido e terceiro secretário da embaixada do seu país em Espanha, Cônsul em Durban, África do Sul, segundo secretário da embaixada em Estocolmo, Suécia, encarregado de negócios na Namibia, e porta-voz da missão de observadores da Comissão da União Europeia na ex-Jugoslávia.

Foi também embaixador não residente no Sultanato do Brunei e na Federação Micronésia, ministro plenipotenciário na embaixada em Caracas, Venezuela, Jamaica, Trindade e Tobago, Guiana, no Suriname, São Vicente e Granadinas, Guatemala, Cidade do México, Honduras e Nicarágua. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA