Embaixador na Polónia convida empresários locais a investir no país

Domingos Culolo, Embaixador de Angola acreditado na Polónia (Foto: Angop)

O embaixador angolano na Polónia, Domingos Culolo, convidou os empresários polacos a investirem em Angola, numa altura em que o país aposta forte na diversificação da sua economia.

O diplomata falava num fórum económico de empresários da região, organizado na cidade portuária de Gdansk, no norte da Polónia, 344 quilómetros de Varsóvia, a capital polaca.

Cidade polaca da província da Pomerânia, Gdansk ergue-se na foz do rio Vístula e tem a sua fama ligada aos seus estaleiros navais, uma das suas principais actividades económicas.

No encontro, Domingos Culolo destacou a amizade de longa data que une os povos angolano e polaco, ao mesmo tempo que encorajou os empresários polacos a investir em Angola.

As relações entre os dois países datam desde a luta de libertação de Angola. A Polónia foi uma das primeiras nações a reconhecer a independência angolana, a 21 de Novembro de 1975.

Desde 2004, Angola consta da lista dos parceiros prioritários da Polónia no âmbito da cooperação com o continente africano. A cooperação polaca em Angola tem como principais vértices os domínios da agricultura, geologia e minas, saúde, desminagem e construção naval.

No domínio do ensino superior, a Polónia co-financiou e liderou a construção da Academia de Pescas e Ciências do Mar, na cidade do Namibe, considerada a maior de África e cuja entrada em funcionamento estava prevista para este ano.

A infra-estrutura, cujas obras tiveram início em 2008, tem capacidade para albergar 500 estudantes, entre angolanos e estrangeiros.

A Academia de Pescas e Ciências do Mar comporta seis edifícios, onde serão ministrados cursos de engenharia de electricidade e electrónica, electro-automação marinha, gestão costeira, engenharia de navegação, exploração de portos e frotas, engenharia mecatrónica de refrigeração, computação, desenho técnico e electrónica de equipamentos de comunicação, processamento de pescado, aquicultura e oceanografia. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA