Em grande forma, Elton John lança novo álbum

(AFP)

Em seu último disco, “Wonderful Crazy Night”, que acaba de sair, a estrela do pop Elton John se mostra irrepreensivelmente optimista, reúne-se com sua antiga banda e comemora estar vivo.

E por que não? Com mais de 250 milhões de discos vendidos, o britânico é um dos músicos de maior sucesso da história.

Depois de suas muito mediatizadas lutas com os vícios e com os transtornos de alimentação, aos seus 68 anos, é o orgulhoso pai de dois filhos. Em 2014, casou-se com seu companheiro de muito tempo, depois que a Grã-Bretanha legalizou o casamento entre homossexuais.

O cantor, que ganhou fama por suas extravagâncias, sugere neste novo disco que virou esta página em sua vida.

Agora, “I’m looking up more than I look down / The view’s a whole lot better a second time around” (“estou olhar mais para cima do que para baixo/ a vista é muito melhor quando se olha uma segunda vez”), canta em “Time is wasted looking back”.

Elton John continua ser uma voz da consciência social mundial. Nos últimos meses, voltou a ocupar as manchetes por acusar o presidente russo, Vladimir Putin, de homofobia e por ter se unido à luta contra a mudança climática.

Mas, qualquer que seja o estado do mundo, como disse em uma entrevista recente, Elton John parece ter encontrado um “final edificante para a minha vida”.

“Nunca fui mais feliz”, disse ele à agência britânica de notícias Press Association.

“Não esperava achar a paternidade tão divertida. Sabia que ia desfrutar dela, mas nunca imaginei que seria tão feliz”, revelou.

Esse estado de ânimo parece ter influenciado claramente “Wonderful Crazy Night”, seu 33º álbum.

E, como se fosse pouco, para completar este bom momento, reencontrou-se com sua banda original, incluindo o guitarrista Davey Johnsone e o baterista Nigel Olsson.

Em “Wonderful Crazy Night”, recupera seu estilo tradicional, com um piano que tem raízes no blues, mas que utiliza ganchos de pop destinados a se tornarem rapidamente memoráveis.

Trata-se de um som que supera a prova do tempo e continua a agradar os fãs, embora seja pouco provável que surpreenda algum deles.

Na verdade, a sua carreira está mudar de outras maneiras. Sendo um dos artistas de maiores bilheteiras do mundo, especialmente quando se apresenta em Las Vegas, o cantor disse que planeia limitar o número de shows para se concentrar mais na família.

Como veterano do piano, declarou que teve que adaptar sua forma de tocar ao seu novo estado de espírito.

Seu novo álbum exala optimismo e, como o próprio admitiu, é muito difícil escrever este tipo de canções.

“Como pianista, geralmente escrevi canções infelizes”, declarou à BBC Radio. (AFP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA