Cuanza Norte:Sinistralidade rodoviária considerada desoladora

Sinistralidade rodoviária no Cuanza Norte é desoladora (Foto: Kynda Kyungo)

O Segundo Comandante da Polícia Nacional (PN) no Cuanza Norte para a Ordem Pública, subcomissário João Gaspar da Silva, considerou segunda-feira, em Ndalatando, a situação da sinistralidade rodoviária na localidade como desoladora, sendo um problema cuja as causas a sociedade deve reflectir profundamente.

O responsável fez esta consideração durante uma sessão ordinária do Conselho Provincial de Viação e Ordenamento do Transito, decorrida com a finalidade de recolher opiniões públicas sobre os regulamentos da condução sem habilitação legal, a venda e consumo de bebidas alcoólicas nos postos de abastecimento de combustíveis, assim como do estacionamento de veículos na via pública.

Segundo disse, o assunto constitui nos tempos actuais uma preocupação para o governo angolano, que tem estado a criar políticas para a sua resolução, devendo também merecer a intervenção urgente da sociedade no seu combate e na mitigação das suas consequências.

Para tal, o subcomissário João Gaspar da Silva sublinhou que o Executivo criou, ao abrigo do Decreto Presidencial nº 18/13, de 15 de Abril, a Comissão de Ordenamento do Trânsito, que visa congregar os principais órgãos ministeriais no sentido de intervirem para a prevenção da sinistralidade rodoviária.

Apesar da província do Cuanza Norte denotar uma redução em acidentes, mortes, ferimentos e danos materiais, em 2015, em relação aos anos anteriores, fruto da mudança comportamental dos utentes do ambiente rodoviário, a situação ainda não alegra as autoridades, fez notar.

“No transcorrido ano de 2015 foram registados na província 631 acidentes de viação, com 119 mortos, 665 feridos e danos materiais estimados em 172 milhões, 755 mil, 28 Kwanzas”, assinalou o responsável sem indicar dados comparativos aos do ano anterior.

Referiu que apesar dos índices reduzirem, a sinistralidade rodoviária ainda acarreta graves consequências que vão desde as mortes, ferimentos e diversos traumas, a par da destruição de património público e privado, sendo, estes prejuízos bastante onerosos para os cofres do Estado, em função das despesas com os meios hospitalares.

Acrescentou que exigirá dos sectores vinculados à Comissão de Ordenamento do Trânsito um redobrar de esforços na aplicação de medidas concretas que visem reduzir os níveis dos acidentes que diariamente ceifam vidas humanas.

As contribuições recolhidas durante o encontro, que reuniu representantes das mais variadas facetas da sociedade no Cuanza Norte, serão encaminhadas à Comissão Nacional, que as juntará às das demais províncias do país, para posterior encaminhamento à Assembleia Nacional.

Participaram do encontro, decorrido no auditório da Escola Técnica de Saúde, tecnicos do governo, membros da comissão provincial de ordenamento do trânsito, administradores municipais, magistrados, representantes partidos políticos e de associações juvenis partidárias, religiosas e filantrópicas, assim como autoridades tradicionais e religiosas. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA