Cuanza Norte: Sensibilização da população evita afogamentos em Camabatela

Panorâmica da vila de Camabatela, sede do município de Ambaca (Foto: Diniz Simão)

A sensibilização das pessoas para se absterem de frequentar as zonas de risco identificadas pelas autoridades na vila de Camabatela, município de Ambaca, tem evitado a ocorrência de sinistros em três lugares que eram palco de frequentes afogamentos em épocas chuvosas.

A informação foi avançada nesta quinta-feira à Angop, em Camabatela, pelo Comandante Municipal dos Serviços de Protecção Civil e Bombeiros, Silva Salvador, que apontou a “lagoa dos padres capuchinhos” e a do Carlovo, bem como a nascente do rio Calucalelo, como os lugares em que os sinistros ocorriam.

Sem avançar números, o responsável disse que tais lugares vinham registando nos anos passados constantes casos de afogamentos nas épocas chuvosas, maioritariamente de crianças que para lá se deslocavam para tomar banho, colocando em risco as suas próprias vidas.

Revelou que depois de um levantamento efectuado sobre a situação, os Serviços de Protecção Civil e Bombeiros promoveram, em 2015, no seio das comunidades, uma campanha de sensibilização e de divulgação do perigo que tais locais representam, o que acautelou as populações a irem para lá.

“Fizemos em 2015 uma campanha de sensibilização “porta a porta”, graças à qual hoje as pessoas têm consciência de que não podem acorrer a estes locais para tomar banho, por isso foi possível evitar, até agora, os acidentes que aí ocorriam”, afirmou.

Segundo a fonte, em 2015 a corporação registou cinco incêndios, sendo um de médias proporções e quatro de pequenas proporções, afectando o sector residencial e tendo provocado danos materiais estimados em 243 mil Kwanzas.

Negligência, curto-circuito e fuga de gás foram apontadas como causas dos referidos incêndios.

No período em análise, que foi o primeiro ano de serviço da instituição em Ambaca, os bombeiros intervieram em socorro a sinistrados de sete acidentes de viação, de quatro invasões de enxames de abelhas e tomaram conhecimento de três suicídios por enforcamento, entre outros casos, recordou o responsável.

A neutralização de dois derrames de combustíveis e a remoção de dez cadáveres de diferentes sinistros constaram também do balanço da instituição que se instalou no município de Ambaca em Junho do mesmo ano.

No total foram prestados trinta e dois serviços de socorro, concluiu Silva Salvador.

O município tem 60 mil, 835 habitantes, sendo que a sua sede (Camabatela) dista 180 quilómetros a nordeste de Ndalatando, capital da província. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA