Cuando Cubango: Governante destaca papel da igreja na transmissão e resgate de valores

Pedro Camelo - Vice - Governador para a área Social (Foto: Angop-Kuando Kubango)

O vice-governador do Cuando Cubango para o sector político e social, Pedro Camelo, disse este domingo, nesta cidade, que a igreja ocupa o seu espaço de influências positivas na transmissão e resgate dos valores de forma pacífica no que tange ao apelo da unidade nacional, a reconciliação e à coesão social.

O responsável fez este pronunciamento quando intervinha no encerramento da VIII Assembleia do Sínodo provincial do Cuando Cubango da Igreja Evangélica Congregacional em Angola (IECA), que decorreu em Menongue de 03 a 07 do mês em curso, sob lema “Levanta-te e anda, passando para outra margem do Lago”.

Segundo o vice-governador, a igreja tem influências positivas na transmissão e regaste de valores de forma pacífica no que tange a solidariedade humana, a consolidação da paz, a participação dos cidadãos nos esforços de reconstrução e desenvolvimento e também no reforço e consolidação do Estado democrático de direito.

“Estamos num distinto e incontornável momento na vida da igreja IECA, cuja relevância merece de todos os correspondentes aplausos, fazendo elogios pela sua realização e pelos objectivos alcançados”, referiu, tendo acrescentado que o governo está solidário com os objectivos da IECA devido, fundamentalmente, ao seu inquestionável papel no resgate dos valores éticos, morais e cívicos na formação da personalidade do individuo.

Pedro Camelo sublinhou que, hoje é mais do que evidente que a igreja constitui destaque e de uma forma geral um processo social privilegiado a vários níveis, associando-se aos esforços do governo na solução dos mais diversos problemas que afligem as comunidades.

Neste particular enfatizou a influência da igreja na educação, saúde e assistência social, sendo certo de que a igreja ocupa o seu espaço de influências positivas na transmissão e resgate dos valores de forma pacífica no tange ao apelo da unidade nacional, a reconciliação, à coesão social, a solidariedade humana, a consolidação da paz, a participação dos cidadãos nos esforços de reconstrução e desenvolvimento e também na consolidação do Estado democrático de direito.

“Por isso, não encontramos a melhor forma de expressar os nossos sentimentos de gratidão pela oportunidade que nos foi cedida para encorajar todos os fiéis da igreja a estarem mais firmes e coesos na unidade da igreja e na ajuda daqueles que sofrem com base nos ensinamentos de Jesus Cristo”, apelou.

A assembleia teve como objectivos, analisar e aprovar o relatório anual do secretário do sínodo provincial, ouvir e tomar decisões sobre os relatórios dos pastorados e congregações autónomas, dos departamentos, sociedades e agrupamentos dos escuteiros afectos à IECA, bem como aprovar os candidatos para o curso bíblico-teológico para o ano de 2016. (ANGOP)

DEIXE UMA RESPOSTA