Cimeira de Chefes de Estado dos Grandes Lagos adiada por indisponibilidade de alguns Presidentes

O ministro das Relações Exteriores de Angola, Georges Chikoti, anunciou em conferência de imprensa o adiamento da Cimeira Foto: Lusa/D.R

A VI cimeira ordinária de chefes de Estado da Conferência Internacional da Região dos Grandes Lagos (CIRGL) agendada para sexta-feira foi adiada para março, por indisponibilidade dos Presidentes do Burundi, Ruanda e Uganda.

O adiamento da conferência foi hoje anunciado pelo ministro das Relações Exteriores de Angola, Georges Chikoti, em conferência de imprensa, à margem da reunião dos chefes das diplomacias dos Estados-membros da CIRGL, que antecederia o encontro de sexta-feira dos chefes de Estado.

Em declarações à agência Lusa, o diretor para África e Médio Oriente do Ministério das Relações Exteriores de Angola, Joaquim do Espírito Santo, disse que vão continuar a ser feitas consultas para o acerto de uma data em que possam estar presentes a maioria dos Presidentes.

“Os ministros (das Relações Exteriores) estão agora a começar. A agenda ainda é longa e certamente não vão poder concluir hoje, para amanhã poderem os chefes de Estado reunirem”, disse Joaquim do Espírito Santo.

Acrescentou ainda que “por outro lado também havia a necessidade da presença dos chefes de Estado do Ruanda, Burundi e do Uganda, que são atores importantes para esse processo de busca de resoluções para os problemas da região”.

“Eles manifestaram indisponibilidade, porque propuseram para finais deste mês ou princípio do próximo mês, então vai-se continuar a fazer agora consultas para ver se se consegue reunir a maior parte dos Chefes de Estado para as decisões que são importantes”, frisou.

Na agenda da VI cimeira ordinária de chefes de Estado e de Governos da CIRGL estão agendados o balanço de dois anos da presidência por Angola da organização e o debate da sua continuação por um mesmo período.

Angola, na presidência da CIRGL desde janeiro de 2014, foi convidada pelos restantes Estados-membros por indisponibilidade manifestada pelo Quénia para as funções.

O encontro deverá de igual modo analisar as situações político-militar no Burundi, República Centro Africana, República Democrática do Congo e Sudão do Sul, além da eleição de um novo secretário executivo e adjunto da CIRGL.

Integram a CIRGL, além de Angola, o Burundi, República Democrática do Congo, República do Congo, República Centro Africana, Quénia, Uganda, Ruanda, Sudão, Sudão do Sul, Tanzânia e Zâmbia. (Agência Lusa – NME/APN)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA