Cambiais afectam a Lactiangol

José Macedo, PCA Lactiangol. (Foto: Angop)

A produção de leite da Lactiangol caiu de cinco milhões de litros para 3,5 milhões de litros no ano passado, devido a dificuldades de acesso a divisas cambiais para a aquisição de matérias-primas, revelou o presidente do Conselho de Administração da empresa, José Bastos Macedo.

No mesmo período, a produção de iogurte baixou para metade, o que deixa a empresa numa situação difícil.
“A Lactiangol enfrenta muitas dificuldades, que obrigam a usar a criatividade e a capacidade de gestão para mantê-la em funcionamento neste momento de crise, resultante da queda do preço do barril de petróleo no mercado internacional”, explicou o PCA.
José Bastos Macedo lamentou a falta de apoio institucional à indústria de lacticínios, defendendo, como contrapartida, facilidades na obtenção de divisas cambiais e financiamento público e privado, para impulsionar a produção nacional e limitar as importações.
Questionado sobre a possibilidade de aquisição de matérias-primas no país, José Bastos Macedo considerou insuficiente a produção pecuária, acrescida das dificuldades que os criadores de gado enfrentam na importação de ração animal.
Neste momento, a Lactiangol garante um décimo das encomendas dos clientes, entre cadeias de distribuição, supermercados, lojas, cantinas e restaurantes.

Apesar dos problemas financeiros, a empresa está a renovar os meios de produção, num investimento de 19 milhões de dólares, dos quais cerca de 14 milhões de dólares estão já realizados.

A modernização da fábrica de lacticínios situada em Luanda permitirá duplicar a capacidade de produção de leite para cerca de 13 mil litros por hora, a partir de 2017.
A Lactiangol foi inaugurada em 1994 e emprega cerca de 250 trabalhadores administrativos, operários e técnicos. (jornaldeangola)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA