Bush influenciou Governo moçambicano a negociar acordos de Roma

George Bush teve uma influência decisiva junto do Governo moçambicano para que aceitasse o diálogo com a oposição Foto: D.R

O mediador católico do Acordo Geral de Paz em Moçambique Jaime Gonçalves atribui ao ex-Presidente norte-americano George Bush influência decisiva junto do Governo moçambicano para que aceitasse o diálogo com a oposição no entendimento histórico de Roma em 1992.

Em entrevista à Lusa, o arcebispo emérito da Beira e figura central dos acordos de Roma, que, a 04 de outubro de 1992, encerraram 16 anos de guerra civil entre Governo moçambicano e Renamo (Resistência Nacional Moçambicana), afirma que, perante a oposição do partido dominante, Frelimo (Frente de Libertação de Moçambique), ao diálogo direto, era preciso alguém com poder sobre o então Presidente Joaquim Chissano e “quem tinha esse poder era Bush”.

Segundo Jaime Gonçalves, os mediadores da primeira abordagem entre as partes, nos embrionários encontros de Nairobi (o ex-Presidente queniano Daniel Moi e o chefe de Estado do Zimbabué, Robert Mugabe), concluíram que a paz só chegaria com diálogo direto, o que colocou o religioso no caminho de Roma e de um encontro com o antigo chefe da diplomacia italiana. (Agência Lusa)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA