Benguela: Venda de casas das centralidades inicia no segundo semestre

nova centralidade (Foto: Angop)

A comercialização de seis mil residências nas centralidades dos municípios do Lobito, Catumbela e Baía-Farta, está prevista para o segundo semestre deste ano, afirmou sexta-feira, no município do Lobito, o porta-voz da empresa Imogestin, Mário Guerra.

Ao falar na cerimónia de lançamento da comercialização do projecto habitacional de seis mil casas, o responsável disse que nos próximos meses a cidade do Lobito ganhará três mil casas, a Catumbela duas mil casas e a Baía Farta mil residências.

“No segundo semestre deste ano, veremos á problemática da falta de residências resolvida, fruto do empenho do Executivo”, salientou Mário Guerra referindo que, os critérios já estão definidos pelo executivo central, estando a empresa pronta para o começo da comercialização ainda este ano, uma vez haver grande expectativa por parte da juventude da província.

Para si, o lançamento da comercialização do projecto habitacional de construção de seis mil casas, vai fazer surgir um novo renascer na juventude, nas novas centralidades habitacionais das três cidades do litoral da província e mudar as condições sócio-económicas dos habitantes da província de Benguela.

O programa habitacional, de acordo com o porta-voz da empresa Imogestin, é abrangente a todos munícipes da província, cujos membros do conselho da empresa avaliaram o nível de execução das obras das centralidade que se encontram a 90 porcento da sua conclusão.

Dados disponíveis a que Angop teve acesso, indicam que numa primeira fase, o programa habitacional ao nível do litoral da província poderá abranger mais de seis mil cidadãos e destes 30 porcento para juventude que ganharam ainda infra-estruturas sociais como escolas, centros de saúde que estão erguidas em função da nova realidade urbanística. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA