Benguela: Beneficiários de lotes em Caimbambo sem capacidades para construir

Benguela: Entrega de material para construção dirigida (Foto: António Lourenço/Arq)

Os beneficiários de lotes para a auto-construção no município de Caimbambo, província de Benguela, mostram-se incapazes de executar as suas obras, devido a problemas financeiros e podem perder o material de construção cedido pelo governo.

A situação foi tornada pública numa reunião de auscultação dos proprietários, promovida pela repartição dos serviços técnicos da administração municipal de Caimbambo, neste final de semana.O fórum concluiu haver morosidade na execução das obras habitacionais.

Trata-se de 29 cidadãos que beneficiaram três mil e 500 tijolos cada, entregues pelo governo provincial no ano 2014, como forma de facilitar que cada um tenha uma casa própria.

De acordo com o chefe da repartição dos serviços técnicos, José Cambiete, os utentes deverão pronunciar-se até terça-feira próxima, sob pena de perderem o material de construção, antes cedido pelo governo.

O administrador municipal de Caimbambo, Jacinto Tomé Amaro, que presidiu o encontro, revelou que no âmbito da distribuição dos lotes, 208 pessoas de vários estratos sociais adquiriram títulos de propriedade de terreno para erguer a casa própria.

Face à delicada situação, criou-se uma comissão integrada pelos responsáveis dos serviços técnicos e alguns beneficiários, encarregues de avaliar o andamento das obras desde 2014, bem como os lotes de 208 outros requerentes.

Sabe-se que a administração de Caimbambo, 116 quilómetros a sul da cidade de Benguela, colocou à disposição dos cidadãos dois mil e 500 lotes na futura zona habitacional do Catuyo, que beneficiou de obras de requalificação técnica. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA