Banco suíço EFG International compra BSI do grupo brasileiro Pactual

(AFP)

O banco suíço EFG International, controlado pela família grega Latsis, anunciou a compra do BSI (Banca Svizzera Italiana), uma filial do grupo brasileiro Pactual, por 1,328 bilião de francos suíços (1,342 bilião de dólares, quase 5,4 biliões de reais).

De acordo com um comunicado, o banco EFG efetuará o pagamento em dinheiro e ações. Com a emissão de títulos, o BTG Pactual possuirá uma participação de 20% no EFG International e estará representado no conselho de administração.

A nova entidade vai administrar uma carteira de activos de quase 170 bilião de francos suíços (171 biliões de dólares), o que fará deste o quinto maior banco privado da Suíça.

Como parte da operação, o EFG International, especializado na gestão de fortunas, pagará 975 milhões de francos suíços em dinheiro ao grupo brasileiro BTG Pactual, actualmente proprietário único do BSI.

À espera da aprovação dos accionistas e das autoridades reguladoras, a transacção deve ser concluída no quarto trimestre do ano.

Na sexta-feira passada, o EFG International confirmou que estava negociando a compra do BSI.

O BTG Pactual teve dificuldades com a detenção em novembro de 2015 de seu então presidente André Esteves, envolvido no escândalo de corrupção da Petrobras. Desde então foram anunciados vários boatos e desmentidos sobre a venda de sua filial suíça.

O BTG Pactual concluiu em setembro de 2015 a aquisição do BSI, em uma negociação com a seguradora italiana Generali, por 1.25 bilião de francos suíços.

O banco BSI foi fundado em 1873 e está presente em várias cidades suíças e no exterior (Nassau, Cingapura, Hong Kong, Montevidéu).

O banco tem 1.900 funcionários em todo o mundo, metade na Suíça.

No primeiro semestre de 2015, o lucro líquido do BSI aumentou quase 25%, a 78,1 milhões de francos suíços. No final de Junho, a carteira de activos era de 81,8 biliões de francos.

O EFG International registou um lucro líquido semestral de 48 milhões de francos suíços, depois de uma perda de seis milhões um ano antes.

No final de Outubro de 2015, a carteira de activos chegava a 83,4 biliões de francos suíços, um aumento de 4% em quatro meses. (AFP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA