Banca: Depósitos indexados

FELICIANO VAN-DÚNEM LUCANGA Funcionário bancário (Foto: D.R.)

Ao falarmos dos depósitos indexados, sendo um produto de depósito a prazo, temos que abordar primeiro aquele que na generalidade e pela percepção que se tem dos depósitos comercializados pelas instituições financeiras, se enquadram na categoria de depósitos simples.

O depósito a prazo é um produto bancário que pressupõe a entrega de fundos a uma instituição de crédito, que fica obrigada a restituir esses fundos no final de um período de tempo acordado e ao pagamento de uma remuneração, designada de juro, que podem ser remunerados a uma taxa de juro fixa ou a uma taxa de juro variável.

Além da simples, que é aquela pela qual um maior número de pessoas ou clientes opta, existe também a possibilidade de efectuar depósitos indexados, que serão o foco deste artigo.

O depósito indexado é um produto, por explorar no mercado angolano, não só por se tratar de um produto com características próprias. É complexo na sua análise e tratamento, pois exige cuidados tanto da parte do cliente, como da parte da instituição financeira.

Os depósitos indexados são produtos financeiros que seguem algumas normas criadas pelo banco central, para o nosso caso o Banco Nacional de Angola. através de decretos presidenciais e ou avisos.

A remuneração constitui a base e a diferença entre os vários tipos de depósitos a prazo, estando os depósitos indexados dependente da evolução de outras variáveis económicas ou financeiras como o preço de uma acção ou de um cabaz de acções ou o valor de um ou vários índices accionistas.

Assim, nos depósitos, à taxa fixa, o valor da taxa de juro do depósito é conhecido no momento da sua constituição e mantém-se inalterado durante o prazo do depósito, enquanto que nos depósitos à taxa variável, a remuneração do depósito está dependente da evolução de um indexante, como a Luibor, como taxa de referência a um determinado tempo. A taxa de juro do depósito é, geralmente, obtida adicionando um “spred” ao valor do indexante.

Antes que o investidor possa subscrever um depósito indexado, a instituição financeira tem de entregar, obrigatoriamente ao cliente, o prospecto informativo do produto com informações sobre as suas características essenciais. Ou seja, o cliente para subscrever o produto é obrigado a ler e a saber as características do depósito que pretende subscrever.

Os depósitos indexados caracterizam-se por valores associados às suas remunerações serem sempre influenciados pelas oscilações dos mercados financeiros, assim como de diversas outras variantes económicas.

Este tipo de depósitos representam e são conhecidos por serem um produto financeiro complexo, e poderão assumir a modalidade de “depósitos a prazo” ou “depósitos a prazo não mobilizados antecipadamente”. Apesar de serem aplicações a prazo, são bastante diferentes dos tradicionais depósitos que são comercializados pelas instituições financeiras. O saldo positivo mostra-lhe as diferenças entre diversos tipos de depósitos a prazo.

O depósito indexado destina-se a clientes que não tenham necessidades de liquidez no período do depósito acordado, já que o mesmo não é mobilizável antecipadamente. Este depósito é recomendado para clientes que privilegiem a garantia de capital, mas que pretendem tentar obter uma remuneração potencial superior às de aplicações tradicionais.

Em particular, está indicado para os clientes com expectativa de valorização de pelo menos um determinado número do total das acções que compõem o cabaz, entre as datas de início e de observação final do depósito.

Considerando a sua complexidade no depósito indexado, o aforrador deve assegurar-se que compreendeu as suas características, os riscos e a forma de remuneração e que as mesmas são consistentes com os seus objectivos e adequados à sua experiência em matéria de depósitos.

A maior diferença está no facto de a sua rentabilidade estar dependente da evolução de outros activos financeiros (instrumentos financeiros, variáveis económicas e financeiras). Estes depósitos, por vezes, podem seguir o comportamento de uma acção, de um índice ou até de um fundo de investimento.

No caso concreto da banca angolana, os clientes podem tirar partido deste produto de enorme valia e atractividade. (jornaldeeconomia)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA