Angola vai mostrar mudanças reais no país e apelar ao investimento no fórum de Lisboa

Angola vai dar conta das mudanças reais que o país está a registar, na conferência promovida pela Câmara de Comércio e Indústria Portugal/Angola, disse hoje em Luanda o diretor-geral da Unidade Técnica de Investimento Privado (UTIP).

Norberto Garcia falava à margem de um encontro daquele órgão do Governo com representante ministeriais e de governos provinciais para a identificação de projetos de cariz produtivo e as necessidades reais de cada país.

A conferência subordinada ao tema “Construir um Futuro Sustentável” realiza-se segunda-feira em Lisboa, e vai contar com a presença da ministra do Comércio de Angola, Rosa Escórcio, e tem como objetivo a captação de investimentos para ajudar a diversificar a economia angolana.

De acordo com Norberto Garcia, nessa conferência Angola vai apelar ao investimento no país, que apesar das dificuldades económica e financeira que enfrenta “é possível a concretização de projetos de investimentos”.

“Os projetos estão a acontecer, há uma série de propostas que temos estado a receber de vários cantos do mundo, há investidores que todos os dias nos batem à porta, por isso o momento é agora, é o momento de agir, de caminhar, de fazer o investimento acontecer”, referiu Norberto do Santos.

O responsável frisou ainda que em Lisboa, a delegação angolana vai “dar conta que as referências em sede do ‘doing business’, que se fala de Angola, já não correspondem à verdade”.

“Nós estamos muito mais avançados do que as pessoas imaginam e é isso que queremos dizer ao mundo, queremos dizer ao mundo que Angola é um bom país para se investir”, destacou.

Segundo o diretor-geral da UTIP, o encontro de hoje teve como objetivo melhorar a organização daquele órgão estatal, com vista a proporcionar aos investidores um sistema bem estruturado.

“Porque há investidores que chegam aqui com financiamentos sem projetos e há projetos sem financiamento, e nós precisamos então fazer coincidir o quadro operacional – que os financiamentos passem a ter correspondência direta com os projetos de investimentos e que os projetos de investimento tenham relação direta com as perspetivas de financiamento que são apresentadas à nossa unidade técnica”, sublinhou.

A delegação angolana ao encontro integra além da ministra do Comércio, o presidente do Conselho de Administração da Agência de Promoção de Investimentos e das Exportações (APIEX), António Henriques da Silva, o coordenador do Programa de parceria estratégica entre o Banco Mundial e Angola, Olivier Gordon, o presidente da Associação Industrial e Angola (AIA), José Severino, entre outros participantes. Lusa – NME // EL

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA