Angola é membro da União Africana há 40 anos

(Foto: Jorge Monteiro/Portal de Angola)

A República de Angola comemora hoje, 12 de Fevereiro, 40 anos desde que foi admita como 46º membro da União Africana (UA), antes Organização de Unidade Africana (OUA).

Após a Independência, a 11 de Novembro de 1975, e com a constituição do primeiro Governo da então República Popular de Angola, foi nomeado ministro das Relações Exteriores José Eduardo dos Santos, para dirigir a campanha diplomática, numa altura em que o território estava ameaçado pelos exércitos invasores zairense e sul-africano.

Fruto de uma intensa luta diplomática conduzida pelo actual Presidente da República, Angola foi reconhecida e admitida, a 12 de Fevereiro de 1976, quadragésimo sexto membro da actual União Africana e, em Dezembro do mesmo ano, na Organização das Nações Unidas.

Nesse período, além da importante vitória diplomática, cerca de 80 países (primeiro o Brasil) reconheceram o Governo da então República Popular de Angola, 40 dos quais africanos.

A Organização da Unidade Africana (OUA) foi criada a 25 de Maio de 1963, em Addis Abeba (Etiópia), por 32 estados africanos, já independentes na altura. O acto constituiu-se no maior compromisso político dos líderes africanos, que visou a aceleração do fim da colonização do continente.

Dessa reunião, nasceu a OUA (Organização de Unidade Africana). Pela importância daquele momento, o 25 de Maio foi instituído pela ONU (Organização das Nações Unidas), em 1972, Dia da Libertação de África.

A criação da OUA traduziu a vontade dos africanos de converterem-se num corpo único, capaz de responder, de forma organizada e solidária, aos múltiplos desafios com que se defrontam para reunir as condições necessárias à construção do futuro dos filhos de África.

A 12 Julho de 2002, em Durban, o último presidente da OUA, o sul-africano Thabo Mbeki, proclamou solenemente a dissolução da organização e o nascimento da União Africana, como necessidade de se fazer face aos desafios com que o continente se defronta, perante as mudanças sociais, económicas e políticas que se operam no mundo.

Contudo, resolveu manter a comemoração do Dia de África a 25 de Maio, para lembrar o ponto de partida, a trajectória e o que resta para se chegar à meta de “uma África unida e forte”, capaz de concretizar os sonhos de “liberdade, igualdade, justiça e dignidade” dos fundadores.

A União Africana tem como objectivos a unidade e a solidariedade africana. Defende a eliminação do colonialismo, a soberania dos estados africanos e a integração económica, além da cooperação política e cultural no continente. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA