Ajuda alimentar em Moçambique para 160 mil pessoas

(rlc.fao.org)

O governo moçambicano precisa de pouco mais de quarto mil toneladas de comida para assistir, neste momento, a 160 mil pessoas severamente afectadas pela insegurança alimentar provocada pela seca nas províncias do sul do país.

O Instituto Nacional de Gestão de Calamidades (INGC) reuniu-se com diversos parceiros do governo moçambicano para pedir apoios para 160 mil pessoas que passam fome devido a seca severa nas províncias de Inhambane, Gaza e Maputo, na região sul de Moçambique.

“Estamos a falar de cerca de quatro mil toneladas de cereais que são precisas neste momento e em termos de feijão estamos a falar de cerca de 676 mil quilos que o governo está a necessitar para assistir às comunidades afectadas neste momento”, anunciou o porta-voz do INGC, Paulo Tomás, avançou ainda que o número de pessoas em situação de segurança alimentar actualmente estimadas em 160 mil poderão duplicar nos próximos dias.

“Tínhamos uma projecção de 166 mil, mas os números projectados pretendem alcançar cerca de 375 mil pessoas” acrescentou Paulo Tomás.

Face a estas previsões, dizem as autoridades que a campanha interna de angariação de alimentos e fundos para a construção de fontes de agua para as milhares de pessoas das três províncias da zona sul de Moçambique vai continuar como relata o nosso correspondente em Maputo, Orfeu Lisboa. (RFI)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA