Zaire: Reposta circulação entre Mbanza Congo e Luvo

Acidente na via Mbanza Congo/Luvo (Foto: Pedro Moniz Vidal)

A circulação rodoviária entre a cidade de Mbanza Congo e a comuna do Luvo, província do Zaire, foi reposta no princípio da manhã deste sábado, após 24 horas de interrupção, provocada por um acidente de viação ocorrido no troço do quilómetro 25, próximo da aldeia de Nkuanza.

O acidente foi provocado por um camião de plataforma carregado de diversa mercadoria que se destinava para o mercado transfronteiriço do Luvo, que ao tentar subir a pendente inclinada do troço perdeu a rotação, tendo-se despistado e ocupado parte considerável das duas faixas de rodagem da via.

A retoma da circulação rodoviária só foi possível com a retirada do camião acidentado do local, feita com a ajuda de um outro camião de plataforma, numa operação coordenada pelo Instituto de Estradas de Angola (INEA) e executada pelos próprios automobilistas e passageiros.

Para o governador do Zaire, José Joanes André, que se deslocou ao local, informou que existe já uma proposta do seu pelouro de alteração do traçado desta subida de cerca de 11 porcento, devendo o intervalo descendente existente entre as duas montanhas ser elevada para se evitar os actuais constrangimentos que se colocam.

Informou, por outro lado, que a nível do Ministério da Construção decorrem estudos para se encontrar a solução que se impõe neste ponto específico do troço rodoviário que foi apelidado de autêntico “cemitério” de camiões pelos automobilistas, dado o elevado número de acidentes que ali ocorrem.

Enquanto isso, José Joanes André considerou o excesso de velocidade e lotação das viaturas como uma das causas dos acidentes que acontecem nesta via rodoviária e outras da região.

Advogou, por isso, a necessidade da colocação de balanças nas estradas nacionais para disciplinarem o excesso de peso praticado por alguns camionistas, com vista a impedir também a degradação rápida das infra-estruturas rodoviárias.

Por sua vez, o director provincial do INEA, Manuel Diangani, disse também que o excesso de velocidade tem sido a principal causa dos acidentes que se registam neste itinerário.

“Há camiões que vêm com o excesso de velocidade por cima de 40 quilómetros por hora e tentam embalar fazendo a descida, para depois continuar com a subida desta inclinação, razão pela qual perdem a rotação, obrigando-os a um recuo descontrolado”, frisou.

A estrada nacional nº 120 que liga Mbanza Congo ao Luvo, numa extensão de 60 quilómetros, é bastante frequentada nos finais de semana, altura em que acontece o mercado transfronteiriço frequentado por milhares de feirantes de Angola e da República Democrática do Congo. (ANGOP)

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA